Investigado por PF no Rio seria homônimo de deputado amigo de Bolsonaro

Homônimos Informações que chegaram à chefia da Polícia Federal em Brasília dão conta de que o Helio Negão que é alvo de investigação da Superintendência do órgão no Rio é, na verdade, um homem que já morreu, e não o deputado homônimo, amigo de Bolsonaro.

Dois em um Para a cúpula da PF, os responsáveis pelo inquérito sabem disso, fato que reforça a desconfiança da direção da corporação de que a investigação só foi aberta para desgastar Ricardo Saadi, agora ex-superintendente da unidade do Rio.

Meu guri Cresce na chamada ala ideológica do governo a defesa do nome do chefe da Abin, Alexandre Ramagem Rodrigues, que é delegado da PF, para comandar a corporação no lugar de Maurício Valeixo, caso a troca se confirme. Ramagem atuou na segurança de Jair Bolsonaro na campanha de 2018.

Leia mais notas do Painel aqui.