Lula fecha roteiro de caravana pela região Sul a partir de março para defender candidatura

Pegadas da história Às vésperas do julgamento que pode selar o destino de Lula nas eleições deste ano, o PT fechou roteiro de nova caravana para o ex-presidente, desta vez na região Sul. O périplo começará em março e será carregado de simbolismos. O petista vai largar da cidade de São Borja (RS), onde está o túmulo de Getúlio Vargas, o “pai dos pobres”. Fará atos pelo interior em municípios que têm foco na agricultura familiar e encerrará em Curitiba, berço da Lava Jato, na Boca Maldita.

Hermano Na passagem pelos três Estados da região, o PT pretende realizar um encontro de Lula com José Mujica, ex-presidente do Uruguai.

Ele mesmo Aliados de Lula têm dito, em análises sobre o cenário da disputa presidencial, que não veem chances de um outro nome de centro despontar como opção ao governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP).

Vi vantagem Pessoas próximas ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), apostam na pauta da Casa para alavancar suas pretensões de disputar o Planalto. O plano é fazer com que o democrata coloque em votação matérias de apelo popular para conquistar os eleitores.

Tempo a favor Esses aliados avaliam que, no comando da Câmara, Maia poderá ocupar mais espaço na mídia do que Alckmin a partir de abril –quando o tucano será obrigado a deixar o governo de São Paulo para entrar na corrida presidencial.

Mapa da guerra Uma planilha com propostas que poderiam dar projeção a Maia já está sendo montada. A maioria delas é relacionada à segurança pública, como a revisão do estatuto do desarmamento.

Não cai do céu O tesoureiro do PSDB, Silvio Torres, sugeriu aos pré-candidatos ao Planalto, Arthur Virgílio (AM) e Alckmin, que cada um recebesse R$ 50 mil da sigla para pagar os custos da campanha para as prévias. O prefeito de Manaus achou pouco e ficou de sugerir novo valor à executiva nacional.

Força-tarefa Após tomar posse na presidência do TSE, Luiz Fux convidará a PF e o Ministério Público a se somarem ao Conselho Consultivo sobre Internet e Eleições. O colegiado, que discute o combate à influência de fake news na disputa, é formado por técnicos da corte, da sociedade civil e da Abin.

Pela ordem A AGU vai recorrer da decisão de uma juíza de primeiro grau de Goiás que mandou o Tribunal Superior Eleitoral permitir a inscrição de candidaturas avulsas.

Tenha dó Técnicos da corte eleitoral enviaram estudo ao STF que aponta que o lançamento de nomes sem filiação partidária comprometeria a segurança das eleições. Uma ação sobre o tema tramita no Supremo.

Quem dá mais Entre os partidos que tentaram atrair o deputado Jair Bolsonaro está o PHS, que tem sete deputados federais. O presidente da sigla, Eduardo Machado, diz que o queria na sigla por pragmatismo. Acha que poderia ampliar sua bancada no Congresso.

Nem queria Como o presidenciável anunciou que vai se filiar ao PSL, Machado rechaça a possibilidade de uma aliança. “Não existe nenhum interesse em apoiar a candidatura de Bolsonaro.”

Novo rumo O PHS agora mira uma parceria com o Podemos, que vai lançar o senador Álvaro Dias (PR) para o Palácio do Planalto.

Pilatos Aliados do presidente Michel Temer têm defendido que ele estimule a ida da reforma da Previdência ao plenário da Câmara em fevereiro mesmo que o governo não tenha votos para aprovar a proposta.

Pilatos 2 “Cada um terá que assumir sua responsabilidade”, diz o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência).


TIROTEIO

Os municípios pagam duas vezes o preço da crise: enquanto caem os repasses federais, aumenta a demanda por saúde e educação.

DE CARLOS AMASTHA (PSB-TO), presidente em exercício da Frente Nacional de Prefeitos, a respeito do calote de R$ 2 bilhões que o Planalto impôs às cidades.


CONTRAPONTO

A volta dos que não foram

Durante a sabatina de Christianne Dias Ferreira, designada para a direção da Agência Nacional das Águas, na Comissão de Meio Ambiente do Senado, em dezembro, Jorge Viana (PT-AC) pediu esclarecimento sobre reportagem que sugeria que a indicação dela teria passado pelo crivo do ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ).

Pouco depois, o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) criticou a provocação feita pelo petista. Diante da reprovação, Viana retrucou:

— Hoje de manhã eu li algo assim: ‘O PSDB saiu do governo, mas o governo não saiu dele’. Agora eu não tenho nenhuma dúvida!