Temer vai ao SBT defender nova Previdência; Silvio Santos diz a ele que não entende a proposta

Por Painel

Caminho das pedras Michel Temer vai gravar participações nos programas do Silvio Santos e do Ratinho para explicar a nova proposta de reforma da Previdência. O presidente acertou os compromissos neste domingo (7), em um longo almoço na casa do dono do SBT, em São Paulo. Durante a conversa, Silvio, um dos maiores comunicadores do país, justificou o convite ao emedebista. “Eu não entendo o que vai ser votado”, disse. “Quero que você vá lá e me explique. Se eu entender, o povo entende.”

Vem pra cá! Temer vai gravar entrevistas para as duas atrações do SBT no dia 18. Anfitrião do encontro, Silvio Santos convidou a família para almoçar com o presidente, que foi acompanhado do ministro Moreira Franco. O deputado Fábio Faria (PSD-RN), genro do apresentador, também participou.

Só um milagre Dirigentes de partidos da base aliada dizem que, apesar do esforço do Planalto, será difícil aprovar a reforma em fevereiro. Na ponta do lápis, calculam, faltam 30 votos que o governo não tem de onde tirar.

Ame quem te ama O ministro Gilberto Kassab (Comunicações) tem dado sinais cada vez mais claros de que sua prioridade é fechar uma aliança com o PSDB. No sábado, ao encontrar um aliado do governador Geraldo Alckmin (SP), o presidenciável tucano, despediu-se com um: “Estamos juntos!”.

Pau para toda obra As indicações de Kassab levaram o grupo de Alckmin a acreditar que ele irá compor com o PSDB independentemente da decisão de José Serra (PSDB-SP) de concorrer ou não ao governo de SP.

Unidos… Semanas antes do recesso parlamentar, Serra e Kassab (PSD) foram juntos à casa de um cacique do centrão falar sobre 2018.

… venceremos? Os dois deixaram o anfitrião confuso. O tucano chegou falando sobre a disputa pelo Planalto, enquanto Kassab tentava embicar o papo para as alianças na corrida ao governo de SP.

De longe Em comunicado à militância, dirigentes do PT disseram que o ex-presidente Lula deve mesmo acompanhar de São Paulo o julgamento no TRF-4, em Porto Alegre, que pode definir seu futuro político.

Encontro marcado “Lula ficará provavelmente em SP, onde haverá ocupação da Paulista desde cedo, e será recebido pela militância no final da tarde”, diz o texto.

Do zero O Livres —primeiro grupo entre os que pregam a renovação na política a ser vítima dos tradicionais acordos de cúpula— define em 15 dias em quais partidos vai abrigar seus candidatos. O movimento, que deixou o PSL após a filiação de Jair Bolsonaro, já havia estruturado 200 núcleos pelo país.

Afinidades Paulo Gontijo, que coordena o Livres no Rio de Janeiro, diz que serão feitas consultas a todos os diretórios estaduais. A organização vai tentar respeitar os alinhamentos regionais. As conversas com outros partidos ainda não começaram. O Novo, que segue cartilha liberal, é visto como opção.

Frio e calculado Não foi de maneira impensada que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), passou a criticar a posição do governo no debate sobre a derrubada da chamada “regra de ouro”, uma manobra que evitaria crime fiscal.

O filho é teu Um conselheiro disse a ele que o problema tinha pai e mãe: o ministro Henrique Meirelles (Fazenda). Outrora aliados, Maia e Meirelles agora travam uma batalha pelo posto de presidenciável da coalizão governista.

Montanha Pessoas próximas ao delator Lúcio Funaro afirmam que ele está reunindo um “volume monstruoso” de documentos para corroborar os anexos que entregará à PGR.


TIROTEIO

Após o contraste da propalada austeridade com a evolução patrimonial, admiradores de Bolsonaro talvez adicionem um ‘n’ ao ‘mito’

DO DEPUTADO CHICO ALENCAR (PSOL-RJ), sobre a reportagem da Folha que exibiu a multiplicação dos bens da família Bolsonaro após ingresso na política.

X

CONTRAPONTO

Ao mestre, com carinho

O escritor Carlos Heitor Cony esteve no centro do programa “Roda Viva”, da TV Cultura, em 1996. Perguntaram ao cronista o que o divertia.

— Antes de mais nada, a política me diverte muito — iniciou Cony.

— Tive um professor no seminário que dizia: ‘Vocês devem preferir morrer a se banalizarem’. (…) Se esse professor me visse hoje, escrevendo sobre [Henrique] Hargreaves, José Sarney, Bresser-Pereira… Ele ia dizer: ‘Onde está você’?— prosseguiu.

— Mas eu me divirto. É como a frase que diz: já que não posso chorar, eu rio!