Governo Temer deve sofrer nova baixa: Kassab pretende trocar presidente dos Correios

Por Painel

Estica e puxa A dança das cadeiras do governo Michel Temer não terminará tão cedo. O PSD avalia tirar Guilherme Campos da presidência dos Correios. Homem de confiança do ministro Gilberto Kassab (Comunicações), Campos deixaria o posto ainda em janeiro para ajudar na articulação da reforma da Previdência na Câmara. Ele é candidato a deputado federal e teria que sair do posto, de toda forma, até abril. O favorito para chefiar a estatal é Carlos Fortner, vice-presidente financeiro do órgão.

Primeiro eu Campos, claro, também começaria a organizar o PSD em São Paulo, reduto de Kassab, para a eleição de 2018. A operação nos Correios foi relatada ao Planalto.

Às claras A entrevista de Kassab à Folha cristalizou em aliados de Henrique Meirelles (Fazenda) a sensação de que há risco de ele ficar sem partido para disputar a Presidência. O fundador do PSD externou o que já dizia em privado: o correligionário não é sua única aposta eleitoral.

Corte… Termina nesta sexta (5) o prazo para o presidente Michel Temer decidir se sanciona ou trava o Refis para micro e pequenas empresas. A proposta recebeu recomendação de veto de todos os ministérios que a avaliaram.

… e costura Numa sinalização de que deve acatar a recomendação dos técnicos, Temer se comprometeu a buscar alternativas para o setor junto ao presidente do Sebrae, Guilherme Afif.

Meu guri O ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) decidiu tirar uma semana de recesso, a partir de segunda (8). No período, a pasta, estratégica para o governo, será tocada por Gustavo Rocha, subchefe jurídico do órgão.

Nem vem O Planalto ficou irritado com o governador Marconi Perillo (GO). Auxiliares de Temer disseram que ele tentou transferir para o governo federal a responsabilidade pela rebelião em seu presídio. Ministros levantaram dados que mostram verbas disponibilizadas para o sistema prisional de Goiás.

Apegado Depois de anunciar que havia desistido de participar da corrida eleitoral, Luciano Huck jantou com dirigentes do PPS e economistas. Não tratou da possibilidade de voltar ao páreo pela Presidência, mas discutiu cenários da política nacional.

Agora vai? Jair Bolsonaro (PSC-RJ) encontrará nesta sexta (5) o presidente do PSL, Luciano Bivar (PE). Espera fechar acordo para se filiar à sigla. Apesar da disposição do dirigente em acolhê-lo –Bivar cogita abrir postos na legenda para o presidenciável– a ala que tentava renovar o PSL resiste ao carioca.

X

Espere sentado A solicitação da defesa do ex-presidente Lula para que ele seja ouvido antes de seu julgamento pelo TRF-4 foi encaminhada ao desembargador João Gebran Neto, que só retorna ao tribunal na segunda-feira (8).

Para a plateia A sala do tribunal que pode definir o futuro político do petista tem capacidade para receber até 20 pessoas convidadas pelos advogados da parte.

Palavra dada Diante da ressurreição das especulações que o colocam como um presidenciável, o prefeito de São Paulo, João Doria, disse: “Não pretendo deixar o PSDB para me candidatar a nada. Estou focado na gestão da prefeitura”.

Semântica A assessoria de Walfrido dos Mares Guia ressalta que a Justiça o livrou das acusações de envolvimento no mensalão mineiro em 2013, quando o empresário fez 70 anos. Ele foi beneficiado pela extinção da pretensão punitiva. “Não houve julgamento. Portanto, não houve prescrição.”

DNA Walfrido é irmão de João Batista Mares Guia, nome da Rede, sigla da ex-senadora Marina Silva, para a disputa ao governo de Minas Gerais neste ano.


TIROTEIO

É inaceitável que o Judiciário seja desafiado com ameaças dos aliados do réu nesse julgamento. Ninguém está acima da lei.

DA SENADORA ANA AMÉLIA (PP-RS), sobre os chamados do PT por forte mobilização em Porto Alegre no dia do julgamento de Lula pelo TRF-4.


CONTRAPONTO

Memória seletiva 

Na sessão do dia 13 de dezembro, a última do ano legislativo de 2017, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), liberou os microfones para os deputados.

— Em vários momentos conduzimos debates calorosos, mas sempre baseados em opiniões e convicções! — disse Weverton Rocha (PDT-MA).

— Agradeço o nosso ótimo diálogo. É uma alegria o senhor não ter jogado nenhum livro na Mesa Diretora em sessão da Câmara, só na do Congresso! — brincou Maia.

Em agosto, depois de ter pedido para orientar sua bancada negado, o deputado atirou o objeto na direção do presidente do Senado.