Após afirmar que não vai concorrer ao Planalto, Huck pede para continuar em pesquisas eleitorais

Por Painel

Novo de novo? Em dezembro, depois de ter dito que não vai concorrer à Presidência, Luciano Huck teve uma reunião com o diretor do Ibope, Carlos Augusto Montenegro. Os dois trocaram análises. Segundos relatos, o apresentador disse que, para o Agora!, movimento do qual participa e que prega a renovação política, nenhum nome de centro conseguiu se firmar como opção viável para o Planalto. Huck arrematou a conversa com um pedido para que o Ibope não o exclua das sondagens eleitorais.

Para todos Procurado para falar sobre o assunto, Montenegro não mencionou a conversa com Huck, mas defendeu a manutenção do nome do apresentador nas sondagens. “Por enquanto tudo é especulação. Não se sabe se o Lula poderá ser candidato –é muito provável que ele não seja–, mas o nome dele está em todas as listas”, disse.

Para todos 2 O diretor do Ibope citou outros nomes ainda incertos. “Henrique Meirelles (Fazenda) teria que sair do ministério… Até 6 de abril as pessoas precisam deixar cargos e escolher partidos. Teremos um quadro melhor nessa data. Até lá estaremos fazendo pesquisas e teremos simulações , algumas com o Luciano Huck.”

O limite Montenegro diz que, depois de abril, “se ele não tiver optado por algum partido, não estará mais”. Ele salienta que “esse negócio de centro, direita e esquerda é muito relativo”. “O que existe é uma decepção muito grande com a maioria dos políticos e partidos. Isso torna a eleição imprevisível. Talvez a mais difícil desde a ditadura.”

Barriga de aluguel Dirigentes do Agora! avaliam que de 15 a 20 integrantes do movimento devem sair candidatos a deputado estadual e federal. Há conversas avançadas com a Rede e o PPS.

X

Meu tempo Aliados de Geraldo Alckmin dizem que, apesar dos apelos para que ele antecipe sua saída do governo de São Paulo para iniciar um giro pelo país, o tucano não tem dado sinais de que deixará o Palácio dos Bandeirantes antes do início de abril.

Pés no chão A cúpula do PSDB de São Paulo discorda do formato de prévias que foi proposto. Dizem que falta estrutura e que ele é inviável.

A realidade Segundo esses tucanos, a lista de filiados está desatualizada. Nem SP, o maior Estado, tem os dados.

Ano novo… O presidente Michel Temer, que amarga a pior avaliação de um inquilino do Planalto desde a redemocratização, mostra-se um otimista. Afirma que aposta em uma reconciliação dos políticos com o povo em 2018.

… vida nova “Tenho quase absoluta convicção de que o próximo Congresso, os próximos dirigentes do país, ajudarão a resgatar a confiança na classe política”, diz Temer.

Alma do negócio Sem contribuição de empresas, avalia o emedebista, a TV será a principal arma da campanha. Ao apostar suas fichas nesse flanco, o presidente valoriza o principal ativo do MDB para firmar alianças. Sua sigla tem o maior tempo de propaganda do país.

Quem manda O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), mandou cancelar o evento de inauguração do viaduto Dona Marisa Letícia marcado para quarta-feira (3). O tucano também determinou que a via na zona sul da cidade seja aberta aos veículos já nesta terça (2).

Queda de braço A homenagem à mulher de Lula, morta em fevereiro de 2017, foi assinada pelo prefeito interino Milton Leite (DEM). Já há na Câmara projeto do vereador Fernando Holiday (DEM) para tirar o nome de Marisa Letícia do viaduto.

X

Por cima do meu… No comando do PSDB de São Paulo, Pedro Tobias desafia os tucanos: “Para não termos candidato próprio a governador, primeiro será preciso me tirar da presidência”.


TIROTEIO

Espero a aprovação da reforma da Previdência neste ano. Ela protege os que mais precisam e é o caminho para construir a igualdade no Brasil.

DO DEPUTADO RODRIGO MAIA (DEM-RJ), presidente da Câmara, sobre a atuação do Congresso e sua expectativa para o país em 2018.


CONTRAPONTO

E o salário ó…

Quando o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) presidia a Câmara, era comum as sessões invadirem a madrugada. Com o ritmo intenso de trabalho no plenário, muitos deputados não resistiam e acabavam cochilando –entre eles, Paulo Maluf (PP-SP), preso desde o dia 22 na Papuda.

Com as sonecas cada vez mais frequentes, Maluf passou a deixar o Congresso sempre por volta das 23h. A ausência do deputado em votações importantes acabou gerando descontos significativos em seu holerite.

Certo dia, no cafezinho da Câmara, Maluf reclamou:

— Tem que parar com isso. Dona Sylvia já não consegue nem sequer fazer o supermercado!