Para alavancar reforma da Previdência, Planalto destina mais R$ 70 milhões para publicidade

Por Painel

De baixo para cima As primeiras pesquisas sobre a repercussão das publicidades pela reforma da Previdência animaram o governo. Até levantamentos patrocinados por parlamentares do Nordeste indicam que, embora ainda longe de ser um consenso, a aceitação da proposta cresceu sensivelmente, especialmente nas classes D e E. A melhora no ambiente para o debate com a população fez com que o governo dobrasse a aposta. O Planalto liberou mais R$ 72 milhões para reforçar a ofensiva de comunicação.

Pelo cansaço O grosso da nova verba será usado para ampliar a exibição das peças que defendem as novas regras de aposentadoria. Outra parte, bem menor, para divulgar o programa Avançar.

Pegou As enquetes de parlamentares do Nordeste mostram que o mote do “combate aos privilégios” começou a colar.

Pegou 2 Para o Planalto, a publicidade que teve mais aceitação é a que mostra o narrador dizendo a uma empregada doméstica que, para ela, nada vai mudar.

Cabalístico O governo também vai fazer pressão nos parlamentares da base aliada. O Planalto já reconhece que não conseguirá aprovar o texto na próxima semana. O dia 13 de dezembro é agora a data limite.

Mantra Em todas as audiências, o presidente Michel Temer pede apoio à proposta. Nesta quarta (29), reconheceu a um grupo de parlamentares que a estratégia “pode dar certo ou não”. “Mas estou fazendo a minha parte.”

Não custa tentar Deputados que resistem ao texto começaram a defender que ele seja reduzido à idade mínima.

Quem bate esquece A comunicação do Planalto conseguiu convencer os idealizadores do programa nacional do PMDB, que fez defesa enfática de Temer, a cortar trecho que fazia um ataque direto ao grupo Globo.

De porta em porta Rosangela Moro, mulher do juiz Sergio Moro, fez um périplo pelo Congresso nesta quarta (29). Pediu apoio dos parlamentares a uma proposta que trata da isenção de impostos para medicamentos e tramita no Senado desde 2015.

Boa causa Rosangela pediu ajuda aos deputados tucanos Eduardo Barbosa (MG) e Mara Gabrilli (SP).

Nas minhas mãos O governador Geraldo Alckmin vai retomar conversas com partidos que tenta atrair para sua chapa à Presidência em 2018. Chamou o deputado Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força, presidente do Solidariedade, para uma reunião no Palácio dos Bandeirantes, nesta quinta (30).

Prepara o ouvido Paulinho já tem uma lista de reclamações. Avisou a aliados que vai externar a insatisfação de seu partido com o documento divulgado pelo PSDB nesta semana. Disse que o texto não faz nenhuma referência aos movimentos sindicais.

Firme como rocha Líder do MTST, Guilherme Boulos participará neste fim de semana do congresso do PSOL, em Luziânia (GO). O partido trabalha para que ele se filie e seja candidato ao Planalto no ano que vem.

Prévia O PSOL não vai anunciar um nome no ato, mas vai oficializar a decisão de ter candidatura própria. Os economistas Nildo Ouriques e Plínio de Arruda Sampaio Jr; a ex-deputada Luciana Genro e a líder indígena Sonia Guajajara também aparecem como opções.

X

Como dantes Apesar da forte expectativa da militância, Marina Silva não deixa claro nem para dirigentes da Rede o tom que adotará no congresso da sigla, neste fim de semana.

A mesma Cobrada a formalizar sua candidatura ao Planalto, a ex-senadora despista. Nas últimas semanas, consultou cerca de 40 pessoas sobre o assunto.

Tente outra vez A Justiça negou pedido da Anamatra para que a Confederação Nacional do Transporte retirasse de seu site documento em que orienta associados a recorrerem ao CNJ contra juízes que se recusem a aplicar as novas regras trabalhistas. A entidade vai recorrer.


TIROTEIO

Ao admitir que fez uma ‘lambança’, Miller assumiu que traiu a confiança do MPF. Advogar para a JBS foi uma violação ética.

DO DEPUTADO FERNANDO FRANCISCHINI (SD-PR), sobre o teor do depoimento do ex-procurador Marcelo Miller, acusado de fazer jogo duplo, à CPMI.


CONTRAPONTO

A fé não costuma falhar…

O deputado Carlos Marun (PMDB-MS) estava deixando a Câmara na noite desta terça-feira (27), quando foi abordado por grupo de deputados.

— Meu ministro! — saudaram, em referência à possibilidade de ele assumir a Secretaria de Governo.

O peemedebista, que chegou a ser nomeado por engano nas redes sociais do Palácio do Planalto, despistou de forma bem-humorada:

— Só se for ministro da Eucaristia! Se quiser bênção, eu estou distribuindo…