Temer diz a Imbassahy que não demitiria aliado pela imprensa, mas fritura acelera saída do tucano

Por Painel

Afaga e apedreja Antonio Imbassahy (PSDB) precisa decidir em qual Michel Temer vai acreditar. O presidente disse ao ainda ministro da Secretaria de Governo que ficou ultrajado com o vazamento de um convite ao deputado Carlos Marun (PMDB-MS) para substituí-lo. Afirmou que jamais demitiria um aliado fiel pela imprensa. Mas a fritura pública do tucano foi patrocinada pelo PMDB de Temer e pelo Planalto que ele comanda. Aliados aconselharam o baiano a pedir demissão até a próxima semana.

Ledo engano Imbassahy demonstrou abatimento ao chegar ao Planalto nesta quarta (22) para falar com Temer após ventilarem que seria substituído. Fechou o dia dizendo que havia sido alvo de um ataque especulativo do PMDB da Câmara para forçar sua demissão.

Limites A ala do PMDB que operou a fritura do tucano também sofreu avarias. Temer demonstrou profunda irritação e, ameaçado de sofrer um boicote do próprio partido no jantar em que apresentaria o texto da reforma da Previdência, disse que preferia cancelar o encontro a anunciar a troca dessa forma.

Come cru Líderes do governo no Congresso ficaram chocados com o deputado Carlos Marun (PMDB-MS). Disseram que ele sentou na cadeira antes da hora e esqueceu de combinar com Michel Temer. O presidente decidiu esperar a poeira baixar e não deve voltar ao assunto nos próximos dias.

Digo sim O senador Tasso Jereissati (CE) admite abrir mão da candidatura à presidência do PSDB para que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, assuma o posto. O grupo ligado ao cearense diz que o partido não pode correr o risco de eleger Marconi Perillo (GO), alinhado a Aécio Neves (MG) e a Temer.

Causa O gesto de Tasso ocorre após a definição do colégio eleitoral que escolherá o próximo presidente da sigla. O plano dos aliados do senador é anunciar o apoio a Alckmin após o registro da chapa única do novo diretório nacional, na segunda (27).

Bênção Em conversa com Fernando Henrique Cardoso, semana passada, Tasso avisou que abriria mão da disputa em prol de Alckmin.

W.O não Cristovam Buarque (PPS-DF) está disposto a brigar por prévias caso Luciano Huck se filie à sigla.

Aqui não O ministro Ricardo Lewandowski descartou sem analisar no último dia 14 recurso em que a PGR insistia num pedido de investigação preliminar sobre uma advogada que supostamente atuava para comprar decisões no STJ em nome da JBS.

Como antes Lewandowski entendeu que o recurso foi apresentado fora do prazo. Ele já havia negado pleito de Raquel Dodge para periciar mensagens da advogada que indicariam o suposto esquema na corte superior.

X

Apelo A defesa do deputado estadual Jorge Picciani (PMDB-RJ) ingressou nesta quarta (22) com um habeas corpus no STJ. Argumenta que sua prisão fere a Constituição. Em outra frente, colegas da Alerj articulam recurso ao STF contra a decisão que o devolveu à cela.

O lado bom da vida Preso desde julho no ano passado na Papuda (DF), Lúcio Funaro aproveita as idas à Justiça Federal em Brasília para comer bem. Na terça (21), o corretor pediu um prato do Lakes –um dos restaurantes mais caros da capital federal.

Visita à Folha André B. Gerdau Johannpeter, diretor-presidente da Gerdau, e Gustavo Werneck da Cunha, que o sucederá no cargo a partir de 1º de janeiro, visitaram a Folha nesta quarta-feira (22), onde foram recebidos em almoço. Estavam acompanhados de Renato Gasparetto Junior, diretor de Assuntos Institucionais; Lucila Ribeiro Cestariolo, gerente de Comunicação; e Alcides Ferreira, da FSB.


TIROTEIO

Soltos, nunca se amaram. Agora, sob o mesmo teto, só Deus sabe o que vai acontecer. É uma prisão de insegurança máxima.

DO DEPUTADO MIRO TEIXEIRA (REDE-RJ), sobre o ex-governador do Rio Anthony Garotinho e o deputado Jorge Picciani (PMDB) estarem presos no mesmo local.


CONTRAPONTO

Nem de mentirinha!

Um deputado enviou a um grupo de WhatsApp do PSD uma foto de uma agência dos Correios repleta de pombos e provocou Guilherme Campos, presidente da estatal:

— O Guilherme está contratando pombo-correio! Quero saber quem indicou!

— Os dois da esquerda são da cota do Ricardo Izar (PSD-SP). Os outros são da do Ricardo Tripoli (PSDB-SP), que também defende a causa animal! — brincou Campos.

Mas o clima está tão ruim para os tucanos na base do governo que teve gente que não entendeu a gracinha.

— Como assim você está abrindo espaço para o PSDB nos Correios!? — cobrou um aliado irritado de Campos.