Planalto retalia deputados que votaram contra Temer e envia a primeira lista de exonerações

Por Painel

Causa e consequência A retaliação veio a jato. O Palácio do Planalto enviou já na noite desta quinta (26) para o Diário Oficial a primeira parte da lista de exonerações de afilhados de deputados que foram infiéis a Michel Temer na votação da denúncia. O governo fez sua própria peneira. Constatou que seis parlamentares traíram o presidente. A ordem é não poupar nenhum cargo. Uma próxima leva de cortes será publicada na próxima semana. Não houve tempo para que a Casa Civil assinasse todas as demissões.

Conta de padaria O governo seguiu um raciocínio simples para mensurar a erosão da base. Na primeira denúncia, Temer obteve o apoio de 263 deputados, com 19 abstenções. Na segunda, de 251 com 25 ausências. A diferença nas somas dos placares é de seis parlamentares.

Ouça-me Deputados de partidos aliados que se declararam favoráveis ao afastamento do peemedebista amanheceram nos gabinetes de ministros do governo.

Serviço prestado Apresentaram argumentos regionais e pediram clemência por terem apoiado o presidente não só no impeachment, como no teto dos gastos e na reforma trabalhista.

Regressiva O Planalto bateu o martelo e decidiu que os ministérios do PSDB serão redistribuídos em março. Michel Temer vê principalmente na pasta das Cidades, hoje ocupada por Bruno Araújo (PSDB-PE), importante trunfo para as eleições de 2018.

Cumpra seu papel A avaliação do governo é a de que qualquer mudança agora poderia colocar em risco a aprovação de pautas para as quais o PSDB declarou apoio. Por isso, a troca de guarda será feita às vésperas do limite do prazo para que candidatos deixem cargos públicos.

Plano de batalha Em reuniões nesta quinta (26), Temer deixou claro que o xadrez eleitoral de 2018 deve entrar nas contas do governo sobre benesses aos aliados. Sem financiamento privado, recursos da máquina federal ganharão peso extra.

Plantão médico A internação de Temer fez com que duas de suas filhas viajassem às pressas para Brasília na quarta (25). Elas dormiram com o pai no Palácio do Jaburu. Retornaram nesta quinta (26), pela manhã, quando tiveram certeza de que o peemedebista estava bem.

Copo até aqui Integrantes do Supremo disseram que sabiam que o ministro Luís Roberto Barroso estava exaurido das farpas lançadas por Gilmar Mendes, mas ninguém esperava uma reação tão contundente como a que ele externou nesta quinta (26), em duro embate com o colega no plenário da corte.

Imagina se não Barroso, que recebeu a solidariedade dos colegas, é conhecido por meditar quase diariamente. Diz a amigos que adotou o hábito para manter a serenidade.

Há vagas O DEM, que articula mudanças na concepção do partido, espera ampliar a sigla não só com parlamentares do PSB, mas do PSDB e do PSD.

Vai só Líder do PTB na Assembleia de São Paulo e aliado histórico de Geraldo Alckmin, o deputado Campos Machado não pretende endossar qualquer iniciativa para fazer do prefeito João Doria candidato ao governo estadual.

Tenho dito “Não há possibilidade de apoiar o Doria por uma questão moral. Quem trai Pedro, trai Paulo”, afirma Machado.

Observai Aliados do governador paulista acreditam que ele só se posicionará oficialmente sobre eventual candidatura do ex-pupilo na corrida estadual após a convenção do PSDB, em dezembro, quando o cenário da disputa pelo posto de presidenciável deve estar mais claro.

Na luta Doria ainda trabalha para concorrer ao Planalto.

X

 


TIROTEIO

Mesmo que exista divergência, um projeto de país é construído com base na união. Como é que o PSDB quer construir destruindo?

DA DEPUTADA CRISTIANE BRASIL (PTB-RJ), sobre a maioria dos deputados do PSDB, que tem quatro ministérios na Esplanada, ter votado contra Michel Temer.


CONTRAPONTO

Ame-o ou deixe-o

Enquanto o governo lutava para tentar encher o plenário da Câmara e votar a denúncia contra Michel Temer, na quarta (25), os deputados Beto Mansur (PRB-SP) e Sílvio Costa (Avante-PE) se encontraram no cafezinho.

— Quem tem cargo no governo tem a obrigação de ao menos marcar presença na sessão… — disse Mansur.

— Você veio! — rebateu Costa, com ironia.

— E não tenho cargo! Desafio qualquer um a achar! — treplicou o paulista, que emendou:

— Por que os que estão na cadeia foram presos?

Costa arrematou:

— Por amor…