Às vésperas de demissão, ex-chefe de combate ao trabalho escravo fechou lista suja de empregadores

Por Painel

Na mira Três dias antes de ser demitido do Ministério do Trabalho, semana passada, André Roston, então chefe da divisão de combate ao trabalho escravo, deixou pronta a chamada lista suja, um cadastro com nomes de 132 empregadores que mantêm funcionários em condição análoga à escravidão.

Na mira 2 Portaria publicada nesta segunda (16) pelo ministro Ronaldo Nogueira centraliza e dificulta a divulgação da relação.

Leia a íntegra do Painel aqui.