Lula submeteu recibos questionados pela Lava Jato a perícia particular antes de enviá-los a Moro

Por Painel

Nós contra eles Aliados de Lula afirmam que, antes de entregar ao juiz Sergio Moro os recibos de pagamentos de aluguel do apartamento vizinho ao que ele mora em São Bernardo do Campo (SP), os advogados do ex-presidente submeteram os papéis a perícia particular. Acionaram dois especialistas — um do Brasil e outro do exterior — e só juntaram os documentos ao processo após receberem um sinal verde. Na quinta (5), a Lava Jato disse que os recibos são falsos e pediu uma perícia técnica.

Replay No documento que protocolou no Comitê de Direitos Humanos da ONU contra a ofensiva da Justiça sobre o petista, a defesa de Lula anexou fotos da aparição de Moro no lançamento do filme “Polícia Federal — A Lei é Para Todos”, em agosto.

Protagonista A queixa conta com imagens de Moro entrando no cinema por um tapete vermelho e comendo pipoca. A alegação é a de que um juiz que conduz um processo sem decisão final não poderia ter comparecido à estreia de um filme que, dizem os advogados, “viola a presunção de inocência” do réu.

Sonho meu Procuradores que atuaram na gestão de Rodrigo Janot estranharam menções feitas por Eduardo Cunha à revista “Época”, na semana passada, a um acordo de confidencialidade que ele teria assinado com Lava Jato e que o impediria de dar detalhes públicos das acusações que vem fazendo.

Jornal de ontem Os investigadores dizem que Cunha até pediu para assinar o termo, mas não foi atendido. Segundo eles, o ex-deputado iniciou as negociações apresentando informações já publicadas pela imprensa.

Então tá Procurado, o advogado de Cunha, Délio Lins e Silva, diz que, por se tratar de uma delação, independentemente da assinatura de um termo, as informações são sigilosas por força de lei. Ele classificou a questão como irrelevante.

Falhou Cerca de quarenta minutos antes de ser preso ao tentar atravessar a fronteira com a Bolívia, na quarta (4), Cesare Battisti foi parado por homens da Polícia Rodoviária em Corumbá (MS).

Falhou 2 Os agentes pediram o documento do italiano e do grupo que estava com ele. Ainda assim, todos foram liberados continuar a viagem.

Planilha Aliados do presidente Michel Temer voltaram a fazer projeções sobre o placar da votação da segunda denúncia contra o peemedebista na Câmara.

Morno Levantamentos entregues ao Planalto apontam que a tendência, hoje, é a de que o presidente consiga alcançar resultado semelhante ao obtido na análise da primeira queixa, derrubada com 263 votos.

Justificado está Deputados que participaram da romaria a Temer na semana passada aproveitaram a ocasião para antecipar ao presidente que devem estar fora de Brasília na data prevista para a importante votação.


Sem reembolso Um aliado chegou a levar os vouchers de um cruzeiro para provar que havia adquirido o pacote antes de a Câmara receber a nova queixa.

Barco furado? Os resultados do último Datafolha deram força ao discurso de que o prefeito de São Paulo, João Doria, avançou o sinal e acabou se atrapalhando na disputa interna com Geraldo Alckmin pelo posto de candidato à Presidência pelo PSDB.

Pega no tranco Importante aliados dos tucanos, o PMDB ainda crê que o prefeito tem um perfil mais combativo e adequado para  2018.

Pés no chão O desempenho no Datafolha também estimulou aliados de Henrique Meirelles (Fazenda) a sugerir que ele fale menos a respeito de 2018. Em todos os cenários, o ministro apareceu com 2% das intenções de voto.


TIROTEIO

Não se sabe quem ganha o confronto entre criador e criatura, mas os perdedores são o Estado e a capital, declinados pelos gestores.

DO DEPUTADO NILTO TATTO (PT-SP), sobre a disputa entre o prefeito João Doria e o governador Geraldo Alckmin pelo posto de candidato a presidente em 2018.


CONTRAPONTO

Ironias do destino

Há um ano, Carlos Arthur Nuzman foi convidado a falar a servidores do Senado sobre o legado das Olimpíadas. Pouco antes do encontro com os funcionários, concedeu entrevista para a “Agência Senado”.
— Vou falar da caminhada para a realização dos Jogos. Será um instrumento de motivação para as pessoas acreditarem que seus sonhos podem ser realizados.

O repórter perguntou, então, qual seria o caminho.
— Dedicar-se de corpo e alma, mas ter a consciência daquilo que tem que ser feito.

Nuzman foi preso na semana passada suspeito de fraude na organização do evento.