Servidores do Supremo são alvo de inquérito por atirar a esmo com armas da corte em GO

Por Painel

Faroeste caboclo Dois servidores da segurança do STF são alvo de inquérito na Polícia Civil de Goiás por, supostamente embriagados, terem usado armas que pertencem ao Supremo para dar tiros a esmo em São João d’Aliança, na Chapada dos Veadeiros, a 152 km de Brasília.

B.O O caso foi registrado em 16 de agosto, após denúncia anônima. Um deles confessou ter feito disparos, mas em área rural não habitada.

Explique-se Os funcionários do Supremo estavam acompanhados de um servidor do TJDFT. Eles foram levados para a Central de Flagrantes de Formosa (GO). O delegado entendeu que não havia motivo para prisão e encaminhou o caso para a Delegacia de Alto Paraíso.

Crime… Procurado, o delegado José Antônio Machado Sena limitou-se a informar que a apuração corre em sigilo. As armas, um revólver calibre .38 e uma pistola 380, foram apreendidas. A assessoria do STF afirmou que, assim que a corte foi informada, adotou as medidas cabíveis.

… e castigo Os servidores foram advertidos. A norma veda viagens com armas do Supremo. O segurança que assumiu ter feito disparos atua junto a ministros e está designado para o gabinete de Luís Roberto Barroso.

Leia a íntegra da coluna aqui.