Aplicação da Ficha Limpa acirra divisão no STF e provoca debates acalorados nos bastidores

Por Painel

Ao vencedor, batatas A opção da maioria do Supremo por legitimar a retroatividade da Lei da Ficha Limpa cristalizou forte divisão na corte e provocou debates acalorados nos bastidores. O ministro Celso de Mello, conhecido pela moderação, desabafou com colegas e classificou o resultado como o mais vergonhoso da história do STF. Crítico público da decisão, Marco Aurélio Mello diz estar “perplexo”. Para ele, tese vencedora não se modula, ao contrário do que defendem alguns pares. “Que lidem com isso.”

Retomar rédeas Cresce entre os críticos da decisão — ala que inclui os ministros Gilmar Mendes e Alexandre de Moraes — a tese de que o Congresso deveria formular lei complementar para apontar que a aplicação da Ficha Limpa vale a partir da publicação da norma, em 2010.

Faroeste caboclo Dois servidores da segurança do STF são alvo de inquérito na Polícia Civil de Goiás por, supostamente embriagados, terem usado armas que pertencem ao Supremo para dar tiros a esmo em São João d’Aliança, na Chapada dos Veadeiros, a 152 km de Brasília.

B.O O caso foi registrado em 16 de agosto, após denúncia anônima. Um deles confessou ter feito disparos, mas em área rural não habitada.

Explique-se Os funcionários do Supremo estavam acompanhados de um servidor do TJDFT. Eles foram levados para a Central de Flagrantes de Formosa (GO). O delegado entendeu que não havia motivo para prisão e encaminhou o caso para a Delegacia de Alto Paraíso.

Crime… Procurado, o delegado José Antônio Machado Sena limitou-se a informar que a apuração corre em sigilo. As armas, um revólver calibre .38 e uma pistola 380, foram apreendidas. A assessoria do STF afirmou que, assim que a corte foi informada, adotou as medidas cabíveis.

… e castigo Os servidores foram advertidos. A norma veda viagens com armas do Supremo. O segurança que assumiu ter feito disparos atua junto a ministros e está designado para o gabinete de Luís Roberto Barroso.

We can Ministro aposentado do STF, Joaquim Barbosa foi assediado por empresários durante palestra do ex-presidente Barack Obama, em São Paulo, na quinta (5). Pediram que ele fosse candidato ao Planalto.

Não usem Corregedor nacional de Justiça, João Otávio de Noronha, perguntou ao Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte se alguma parcela dos cincos anos de auxílio-moradia reivindicados por juízes e desembargadores havia sido paga. Se sim, avisou, quer o reembolso.

A conta é sua Noronha diz que, caso não cumpra a determinação, o presidente do TJRN ficará sujeito a ser pessoalmente responsabilizado pela desobediência.

Não é comigo O governador Geraldo Alckmin fez questão de deixar claro que não endossou a decisão do líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli (SP), de desalojar o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) da CCJ. O presidenciável achou a operação desastrada.


Holofotes O protagonismo que Luciano Huck assumiu na criação do Renova Brasil, o “fundo cívico para a renovação política”, irritou organizadores do movimento. Integrantes dizem que o apresentador foi acionado para ajudar a bancar a iniciativa, mas tomou o projeto.

Na raiz Caciques de partidos políticos comemoraram o resultado final da reforma política. Dizem que ela limitou muito as chances de siglas novas e a influência de movimentos como o Renova.

Estou fora Integrantes do PSD dizem que o Sebrae, sob o comando de Guilherme Afif Domingos, filiado ao partido, não pode ser colocado na conta de cargos da sigla. A nomeação foi considerada escolha pessoal de Temer.


TIROTEIO

A ilusão do autoritarismo messiânico gerou Hitler e suas consequências. O medo tornado em hábito nunca foi bom conselheiro!

DO DEPUTADO FEDERAL GLAUBER BRAGA (RJ), líder do PSOL, sobre estudo que aponta alta propensão dos brasileiros a apoiar teses autoritárias.


CONTRAPONTO

Caçador de mim

Na quinta (5), durante coletiva de imprensa para falar sobre a decisão do PSDB de tirá-lo da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, o relator da segunda denúncia contra Michel Temer, Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), dizia não ter ficado com mágoa dos líderes tucanos nem se sentir desrespeitado com a decisão da cúpula, quando um repórter o interrompeu:

— Deputado, diante dessa história toda, não te deu vontade de cortas as asinhas dos tucanos, não?

— Mas tucano é difícil de pegar, rapaz — respondeu.

E, aos risos, emendou:

— É um pássaro que voa numa velocidade terrível!