Reações à decisão do STF sobre Aécio disseminam sensação de desavença entre os três Poderes

Por Painel

Geral e irrestrito O afastamento de Aécio Neves (PSDB-MG) do Senado causou reações profundas em todas as esferas do poder. Michel Temer viu renascer a desconfiança sobre a aliança com o PSDB e a pressão do centrão por mais espaço no governo. O STF foi tomado por divisão e constrangimento. Mesmo ministros que concordam com a medida condenaram a forma do voto. No Congresso, houve inédita união entre PT e PSDB e alinhamento de um número expressivo de parlamentares contra o Judiciário.

Bandeira branca A presidente do Supremo, Cármen Lúcia, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira, são os principais alvos de pressão. Ao telefonar para o senador nesta quarta (27), a ministra, de certa forma, fez sinal de que não deseja ver nenhum dos lados pegando em armas.

Nunca desaponta Enquanto integrantes do PT e do PMDB defenderam a suspensão do afastamento de Aécio, tucanos se revezavam no Congresso e em diretórios estaduais da sigla exigindo a renúncia definitiva do mineiro à direção do PSDB.

Autofagia Nomes da ala dos cabeças pretas do PSDB disseram querer que Aécio prove sua inocência, mas admitiram que a situação é constrangedora. “É de bom tom que ele se afaste em definitivo da presidência”, afirmou o deputado Fábio Sousa (GO).

Areia movediça O ministro Moreira Franco só não perdeu o foro em votação da Câmara na terça (26) porque o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), interveio. Ao perceber o cenário adverso, ele segurou a votação da MP que dá status de ministério à secretaria do aliado de Temer por 45 minutos.


Areia movediça 2 Maia disparou mensagens e telefonou para deputados. Beto Mansur (PRB-SP) participava de um debate. Às 22h17, recebeu: “Você vem votar?”. Só viu o chamado 20 minutos depois. Respondeu: “Só vi agora! Graças a Deus ganhamos”.

Dever de ofício Para registro: o democrata não vive sua melhor fase com o PMDB.

Tente outra vez A Justiça de São Paulo negou pedido da defesa de Silvonei José de Jesus Souza, que clonou o celular da primeira-dama, Marcela Temer, para que ele ingressasse na universidade. O hacker cumpre pena no presídio de Tremembé.

Sem saída Silvonei fez o pedido três dias após ter conseguido progredir para o regime semiaberto. O pouco tempo na nova situação foi citado como um motivo para a recusa, assim como o fim do contrato com a empresa que fornece tornozeleira eletrônica.

Todos juntos A OAB de SP fará um ato de desagravo a Antônio Claudio Mariz de Oliveira, que deixou a defesa de Temer. O evento foi organizado depois que as acusações do doleiro Lúcio Funaro contra o advogado e amigo do presidente vieram a público. Ele diz que Mariz alertou o Planalto sobre seu acordo.

Tu és fiel Em meio ao debate da nova denúncia, o PRB usará seu programa nacional nesta quinta (28) para exaltar o que chama de”acertos do governo”. Citará a redução dos juros e a queda da inflação. Presidente do partido, o ministro Marcos Pereira defenderá a decisão da sigla de apoiar o presidente.

Vai ter jogo Outros dois nomes se apresentaram à disputa pela presidência do PSDB de São Paulo, hoje ocupada por Pedro Tobias, fiel aliado do governador Geraldo Alckmin e candidato à reeleição. Os deputados federais Vanderlei Macris e Miguel Haddad têm interesse.

Cada um… O prefeito João Doria fará uma operação de recape no asfalto nos últimos meses do ano. Investirá mais de R$ 200 milhões.

… na sua Na terça (26), Alckmin esteve com com o embaixador do México e determinou o envio de ajuda humanitária ao país, atingido por terremotos.


TIROTEIO

Acreditavam que o meu caso seria o princípio, o fim e o meio. Ledo engano! O pesadelo estava apenas começando!

DO EX-SENADOR DELCÍDIO DO AMARAL (SEM PARTIDO-MS), que teve o pedido de prisão confirmado pelo plenário do Senado, sobre o revés de Aécio Neves.


CONTRAPONTO

Oxente!

Na terça (26), durante debate sobre o projeto que prevê a regulamentação de serviços de transporte individual por meio de aplicativos como o Uber, o senador Lasier Martins (PSD-RS) pediu a palavra. Disse que havia recebido mensagens de todo o Brasil, uma delas de um taxista de Salvador, às 6h. Segundo ele, muita gente queria emitir opinião sobre o assunto.

O senador baiano Otto Alencar (PSD) interrompeu:

— Jura? Tão cedo? O taxista não deve ser da Bahia!

Os colegas caíram na gargalhada e Ricardo Ferraço (PSDB-ES) tentou contemporizar:

— Toda regra tem exceção!