Indisposição de STF com Rodrigo Janot nunca foi tão grande, dizem integrantes do tribunal

Por Painel

Perto do fim Integrantes do Supremo avaliam que dificilmente Rodrigo Janot será afastado pela corte dos casos que envolvem o presidente Michel Temer. Ainda assim, o chefe do MPF deve se preparar para ouvir uma série de críticas à sua atuação no julgamento desta quarta (13). Membros do tribunal afirmam que nunca antes o juízo sobre o trabalho de Janot foi tão ruim. Se o procurador-geral fica, dizem, é porque o tempo que lhe resta é tão pequeno que não vale o desgaste de impedi-lo.

Santo de casa O diretor jurídico da JBS, Francisco de Assis, disse a pessoas próximas que armazenou mensagens trocadas com a ex-diretora geral do IDP (Instituto Brasiliense de Direito Público), de Gilmar Mendes. Assis hoje é delator. Os textos não foram entregues à PGR. Ele disse que não havia indício de crime.

Jogada casada A ida de Marcello Miller para o Trench Rossi Watanabe foi o que levou a J&F a firmar acordo de leniência com a banca. Esta é a conclusão da apuração interna feita pelo escritório. Integrantes da firma sustentam que ela foi usada por Miller e por Esther Flesch, ex-sócia do escritório, para maquiar acerto prévio entre eles e a JBS.

Nada consta O contrato proposto por Flesch à J&F por e-mail não estava nos livros da banca. Em caráter “personalíssimo”, ele sugere a portabilidade da remuneração caso ela mudasse de firma.

Nada consta 2 Em nota, Flesch disse que o texto era uma minuta e que a versão final, assinada pelo Trench, ficou muito diferente da sugerida inicialmente.

Cordão sanitário Temendo a convocação dos ex-presidentes Lula e Dilma à CPI da JBS, o PT planejou um revide. Se houver ofensiva, vão apresentar requerimentos pedindo explicações a ministros de Michel Temer.


Não é para tanto Apesar da declarada trégua com o governo Temer, dos quatro deputados indicados pelo PSDB para compor a CPMI da JBS, três votaram a favor da denúncia contra o presidente.

Ponta da língua O governo vai se apoiar na fragilidade da delação da J&F de Joesley Batista para rebater a afirmação da PF de que Michel Temer tinha poder de decisão em “quadrilhão” do PMDB. Diz que o relatório perde força ao citá-lo como destinatário da mala entregue a Rodrigo Rocha Loures, como sustenta o empresário.

Na telinha O PT vai usar sua propaganda partidária desta quarta (13) para reforçar a defesa do ex-presidente Lula, acossado por várias denúncias. A peça será veiculada no mesmo dia em que o petista prestará novo depoimento ao juiz Sergio Moro. A caravana pelo Nordeste é a atração principal do filme.

Logo atrás Após o governador Geraldo Alckmin receber os deputados estaduais do PSDB para um jantar nesta segunda (11), o prefeito João Doria, também presidenciável, fará um encontro semelhante na quinta (14).

Sujou A bancada do PT na Câmara de SP apresenta nesta terça (12) uma ação popular e uma representação ao Tribunal de Contas contra a prefeitura. Diz que há omissão em relação a fraudes denunciadas no Cidade Limpa.

Vira o disco Temer vai receber líderes da base na manhã desta terça (12). Quer ouvi-los sobre reforma da Previdência e Refis. Aliados já avisaram que, se o governo realmente quiser aprovar novas regras para a aposentadoria, terá que mudar sua estratégia de comunicação.

Os russos Críticos da primeira leva de propagandas, os parlamentares dizem que o governo precisa ouvi-los para fazer um projeto compatível com o desejo da população.

Visita à Folha Roberto Waack, presidente da Fundação Renova, visitou a Folha nesta segunda-feira (11), a convite do jornal, onde foi recebido em almoço.


TIROTEIO

Ao ver Joesley com o terço nas mãos, torci para que ele estivesse rezando pelo Brasil e pedindo perdão pelos prejuízos que causou à nação.

DO DEPUTADO CARLOS MARUN (PMDB-MS), sobre a suspensão da delação da JBS e a prisão do empresário Joesley Batista, acusado de omitir informações.


CONTRAPONTO

Foi para o espaço

Em setembro de 2011, Joesley Batista foi convidado a falar no Congresso Paulista de Jovens Empreendedores da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Após a palestra, respondeu perguntas.

Um dos jovens quis saber qual foi a decisão mais difícil de sua vida. Depois de brincar que o melhor negócio que fez foi parar de fumar, Joesley continuou:

— Empresarialmente, não tem. O dia que você começa a tomar decisão difícil é porque está no caminho errado.

E emendou:

— Vou no óbvio. Não tem tecnologia da Nasa para tocar os negócios!