Só uma conexão entre dinheiro de Geddel e Temer daria força a nova denúncia, avaliam políticos

Por Painel

Tendão de Aquiles Aliados e adversários de Temer admitem que, no cenário atual, só a descoberta de um vínculo direto entre o presidente e a dinheirama atribuída ao seu ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) reacenderia o desejo do Congresso de aceitar a segunda denúncia de Janot contra o presidente.

Ficha corrida A delação de Lúcio Funaro, recheada de acusações contra o PMDB, seria insuficiente para afastar Temer. Motivos: 1) Funaro admite que não tinha proximidade com o presidente; 2) O governo tratará o doleiro como criminoso confesso, reincidente e violento.

Por ela Nas tratativas com a PGR, Funaro pediu para incluir benefícios à sua irmã, Roberta, no rol das premiações de seu acordo de colaboração. Ela foi presa em maio após ser flagrada recebendo dinheiro de Ricardo Saud, da J&F, em nome do corretor.

Por ela 2 O doleiro não conseguiu garantir a imunidade para a irmã, mas fez “pré-tratativas” com a Procuradoria para conseguir benefícios no futuro. A prisão de Roberta, fruto da delação da J&F, foi o gatilho para que Funaro decidisse colaborar.

Leia a íntegra da coluna aqui.