Janot solicita que escritório de advocacia explique demissão de Miller e da advogada que o contratou

Por Painel

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, requisitou em despacho apresentado ao STF (Supremo Tribunal Federal) para que o escritório Trench Rossi Watanabe dê explicações, em cinco dias, sobre as causas dos desligamentos de Marcello Miller e Esther Flesch da banca. Janot anunciou nesta segunda (4) que abriu investigação para apurar indícios de omissão de informações sobre crimes no processo de negociação do acordo de delação de executivos da JBS.

Conforme revelou o Painel nesta segunda (4), Flesch deixou o escritório na semana passada. Ela, que chefiava a área de compliance do Trench Rossi Watanabe, foi responsável pela contratação de Miller e sua saída ocorre quase dois meses depois de o ex-procurador perder o emprego.

Ex-braço-direito de Rodrigo Janot, Miller trocou a PGR pelo escritório que negociou a leniência da JBS pouco antes de Joesley Batista fechar delação.

Procurado para comentar a demissão de Flesch, o escritório de advocacia se limitou a confirmar a informação.

Nesta segunda, a advogada enviou nota ao Painel. Ela diz: Esclareço que minha saída do Trench Rossi Watanabe se deu por motivos societários.  Além disso,  informo que outros sócios e uma parte da equipe de advogados me acompanharão na continuidade de minha prática.”

Veja a íntegra do despacho do procurador-geral Rodrigo Janot.

Leia a íntegra do Painel aqui.