Ofensiva do PMDB sobre PSB irrita o presidente da Câmara às vésperas de nova denúncia contra Temer

Por Painel

Leite derramado Ao atrair para suas fileiras dois nomes do PSB de Pernambuco que estavam em negociação com o DEM, o presidente do PMDB, Romero Jucá (RR), pode não ter ferido os interesses regionais do Democratas, mas irritou o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Tal descuido não ocorreu em boa hora. Estremece relações às vésperas de o Congresso receber nova denúncia contra Michel Temer. Maia dita o ritmo da ação no Legislativo e exerce forte influência sobre os deputados.

Uma imagem… Questionado sobre a filiação do senador Fernando Bezerra e de seu filho, o ministro Fernando Coelho (Minas e Energia), ao PMDB, Maia enviou apenas a fotografia de uma reportagem com declarações de Jucá negando o assédio ao PSB antes da votação da primeira denúncia contra Temer.

… vale mais Em julho, quando o PMDB fez o primeiro gesto na direção de dissidentes do PSB, Jucá descartou que o movimento representasse qualquer tentativa de barrar novas filiações à legenda de Rodrigo Maia. “O DEM é aliado de primeira hora. Desminto a tentativa de intriga”, disse na ocasião.

Campal Aliados do governador Geraldo Alckmin dizem que o prefeito João Doria assumiu que quer ser candidato ao Planalto ao afirmar que caberá “ao povo” decidir quem representará o PSDB na disputa. O primeiro tem a preferência do tucanato. O segundo atraiu legendas poderosas para sua órbita.

Estão comigo Dirigentes do PMDB, do PSD e de partidos do centrão já dizem abertamente que veem Doria com mais chances de êxito em uma eventual disputa à Presidência em 2018. Alckmin teria o PSB, o PV e o PPS.

Dia após o outro Acusado de cobrar propinas no Paraná, o chefe da Casa Civil do governador Beto Richa, Valdir Rossoni (PSDB), fez campanha pela saída de Aécio Neves da presidência do partido logo que surgiram as acusações contra o mineiro.

Deu ruim A denúncia acabou com os planos de Rossoni para 2018. Ele estava em contato com o ex-senador Osmar Dias para ser seu candidato a vice ao governo do PR.

Deu ruim 2 O PSDB de Pernambuco abriu procedimento contra o prefeito de Ouricuri, que discursou ao lado de Lula na quinta-feira (31).

Respira Dirigentes do PT viram no termo assinado pelo ex-ministro Guido Mantega (Fazenda) com o Ministério Público Federal no DF um indício de que ele desistiu de tentar delação premiada — pelo menos por enquanto.

O passado ensina O trato firmado entre Mantega e o Ministério Público Federal no DF é do mesmo modelo que o assinado por Joesley Batista e pelo presidente da Eldorado Celulose, José Carlos Grubisich Filho, em 2016. A Procuradoria, depois, suspendeu o acordo. E Joesley hoje é delator.

Remediado está Aliados de Antonio Palocci dizem que ele parece conformado com os sinais de que não conseguirá fechar sua colaboração.

Onipresente No domingo (3), Lula jantará em Timon, cidade que fica na divisa entre o Piauí e o Maranhão. Vai compartilhar a mesa com os governadores dos dois Estados, Wellington Dias (PT-PI) e Flávio Dino (PC do B-MA).

Tropa de choque Renan Calheiros (PMDB-AL) coletou, até a noite de quinta (31), 25 assinaturas para a criação da CPI dos supersalários. A comissão poderia ser instalada com mais dois senadores, mas o alagoano quer, ao menos, o aval de 30 colegas.

Estímulo Renan tem dito que, com a CPI, pretende “criar um clima favorável para que a Câmara volte a discutir os projetos que barram os supersalários”. Em dezembro de 2016, o Senado aprovou um pacote de medidas sobre o tema — desde então, à espera de análise dos deputados.


TIROTEIO

Alta do PIB, do emprego, da safra, da Bolsa: evidências de um país que avança. O passado de privilégios de corporações está sendo enterrado.

DO MINISTRO MOREIRA FRANCO (SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA), sobre os resultados da economia brasileira no segundo trimestre deste ano.


CONTRAPONTO

Cada um com seus problemas

Na madrugada de quinta-feira (31), logo depois que o governo mandou buscar os senadores João Alberto Souza (PMDB-MA) e Rose de Freitas (PMDB-ES) para tentar alcançar o quorum exigido para a votação da nova meta fiscal, o deputado Henrique Fontana (PT-RS) provocou o presidente do Congresso, Eunício Oliveira (PMDB-CE), aliado de Michel Temer.

— Presidente, se para garantir o quorum mínimo vocês estão tendo que buscar senadores em casa, imagino que a reforma da Previdência já era…

— Deputado, a questão da Previdência começa pela Câmara. Felizmente estou livre dessa — respondeu Eunício.