Ministro do STF ainda pode pedir para suspender eleições no Amazonas, marcadas para o dia 6

Por Painel

Ainda há tempo O ministro do STF Ricardo Lewandowski tem em seu gabinete um recurso do ex-vice-govenador do Amazonas Henrique Oliveira (SD) e duas ações que questionam as eleições no Estado, marcadas para o próximo domingo (6).

Quero saber O magistrado enviou ao presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Gilmar Mendes, nesta semana, seis questionamentos sobre o pleito no Estado. Perguntou o quanto já foi gasto, se já houve distribuição de urnas, entre outros pontos, para definir se pede novamente a suspensão ou não as eleições.

Evite problemas Mendes respondeu às questões nesta quarta (2). Disse que já foram gastos mais de R$ 7 milhões com a organização do pleito suplementar e que as eleições estão “quase prontas”. Afirmou que as Forças Armadas já estão em deslocamento para o estado, além de funcionários que se encontram por lá. Informou também a previsão de urnas serem entregues no sábado (5).

Espreita Em junho, Lewandowski mandou suspender o pleito direto suplementar, mas a decisão foi revista pelo ministro Celso de Mello durante o recesso. O ex-vice-governador do Amazonas interpôs um recurso em caráter de urgência. O ministro relator  deve decidir sobre o caso nesta quinta (3).

Não largo Governador interino do Estado, o presidente da Assembleia Legislativa, David Almeida (PSD), tem dito que não descarta uma reviravolta e a determinação de eleições indiretas. Ele quer ficar no cargo.

Leia outras notas da coluna aqui.