Valério apresentou como prova em proposta de delação lista de propina que já alegou ser falsa

Por Painel

Acredite se quiser Na proposta de delação que fez ao Ministério Público de Minas, o empresário Marcos Valério anexou como prova de sua narrativa uma lista em que enumera repasses de propina a dezenas de autoridades. A peça é controversa. Anos atrás, outras versões da planilha foram encontradas com Nilton Monteiro, o estelionatário que fez a chamada “lista de Furnas”. Na ocasião, o próprio Valério disse que os papéis eram falsos. O MP recusou o acordo. Valério fechou com a PF.

Copia e cola Aliados de Valério dizem que ele reapresentou a lista como anexo na proposta de delação aceita pela Polícia Federal.

Ficha corrida Uma versão da planilha foi alvo de ação judicial pelo ministro Gilmar Mendes, do STF, que aparece no papel como destinatário de R$ 185 mil. Ele apontou os indícios de fraude e processou a revista “Carta Capital”, que publicou trechos da lista em 2012.

O vidente O ministro foi indenizado em R$ 507 mil pela revista. Na planilha, ao lado de seu nome aparece a inscrição “AGU”. Valério diz que elaborou o documento em 1999. Mendes, porém, só foi nomeado advogado-geral da União em janeiro de 2000.

Caixa postal Procurado, o advogado de Marcos Valério não respondeu. O advogado de Mendes disse que, confirmado o uso da lista, tomará novas medidas. Diversos empresários são citados, além de políticos e autoridades.

Prepara O Banco do Brasil está concluindo os levantamentos de operações citadas pela Odebrecht que envolveram Aldemir Bendine, ex-presidente da instituição e da Petrobras preso nesta quinta (27). O pente-fino deve sair até o fim de agosto.

Porta de entrada Bendine chegou à cúpula do Banco do Brasil por indicação de Gilberto Carvalho. Na ocasião, foi considerado “um achado” por dirigentes da sigla.

Estamos juntos A defesa de Bendine diz, no documento em que pede sua saída da prisão, que o executivo assumiu o comando da Petrobras quando a Lava Jato “já estava em pleno curso” e que ele agiu para “responsabilizar os envolvidos no esquema”.

Ligações Bendine sempre foi visto no PT como um nome que tinha acesso privilegiado a Joesley Batista, da JBS.

War Depois do giro pelo Nordeste, que começará no dia 17 de agosto, em Feira de Santana (BA),o ex-presidente Lula programa visita ao Sul do país. Auxiliares do petista organizam ainda longa agenda no interior de São Paulo — reduto do PSDB.

De A a Z Na primeira caravana, Lula visitará todos os Estados do Nordeste, intercalando municípios do sertão com capitais. O ex-presidente vai diversificar a agenda: de conversas com moradores de áreas carentes a comícios.

Jogo de cena O governador Marconi Perillo (GO) nega intenção de disputar a presidência do PSDB. Aliados ironizaram o discurso oficial. Dizem que talvez ele ainda não saiba, mas a torcida pela candidatura ao comando da sigla “é muito grande, um apelo irrecusável”.

Ocupar e resistir Tanto é que dirigentes tucanos contrários à troca de guarda na chefia do partido já mostram disposição em editar norma que barre indicação de chefe de poder Executivo à presidência do PSDB.

De casa Os cinco nomes escolhidos por Raquel Dodge para comandar a transição na PGR são ligados ao ex-procurador-geral Roberto Gurgel, que atuou no julgamento do mensalão. Em 2009, ele nomeou a nova chefe do MPF coordenadora da Operação Caixa de Pandora.


Centralizou A escolha de Dodge foi criticada em grupos do MPF. Houve reclamações pelo fato de todos os nomes serem da Procuradoria Regional da 1ª Região.


TIROTEIO

O pré-sal levou a popularidade de Lula para as alturas, mas Temer faz o caminho contrário: vai ele mesmo para o fundo do poço. 

DO DEPUTADO PAULO TEIXEIRA (PT-SP), sobre pesquisa CNI/Ibope que aponta a gestão de Michel Temer como a mais mal avaliada em 30 anos.


CONTRAPONTO

Só que não…

Em fevereiro de 2015, logo após Aldemir Bendine, o Dida, assumir a presidência da Petrobras, o WhatsApp de Val Marchiori começou a apitar.

Todas as mensagens questionavam como estava sua relação com o ex-executivo da estatal — que a teria beneficiado quando estava à frente do Banco do Brasil.

Depois de alguma resistência, negando qualquer proximidade com Bendine, a socialite respondeu:

— Meu desejo é que ele consiga acabar com a corrupção lá dentro, seja forte para combater todo o malfeito à empresa e restabeleça a confiança dos brasileiros na instituição.
Bendine foi preso nesta quinta (27) pela Lava Jato.