Coordenador da Força Nacional avisa que, sem reforço de caixa, vai desmobilizar 1.550 homens

Por Painel

Arma no coldre A suspensão da emissão de passaportes pode ter sido a primeira de uma série de baixas que a crise orçamentária deve impingir a órgãos de segurança. Em memorando, o coordenador da Força Nacional, João Goulart dos Santos, pede suplementação orçamentária de R$ 120 milhões e afirma que, sem isso, será preciso desmobilizar ao menos 1.550 homens do programa. Ele diz que, com o que há em caixa, não é possível garantir o pagamento de passagens aéreas e diárias de seu efetivo.

De papel passado O documento foi enviado pelo coronel dos Santos ao Ministério da Justiça no último dia 12. Ele afirma que, mesmo se desmobilizasse até o dia 31 de julho 1.550 homens da Força, seria preciso remanejar recursos de outras áreas da pasta para cobrir o deficit de seu grupamento.

Para quem precisa A Força Nacional apoia corporações de Estados e municípios em situações de urgência ou calamidade. Hoje, parte do efetivo ajuda a conter a crise de segurança pública no Rio.

No calcanhar Procurado, o Ministério da Justiça informou que “a situação está sob análise” e que, “assim que concluir as avaliações, adotará a solução cabível”.

Fatiou, passou Na próxima semana, o presidente Michel Temer vai consultar líderes da base aliada sobre as chances de retomar a tramitação da reforma da Previdência. Quer medir o apoio às mudanças — o ponto de partida é a idade mínima.

Vai na frente Com a volta do Congresso, em agosto, Temer vai priorizar a aprovação da reforma tributária. A pauta agrada o empresariado e não é alvo de resistência social.

DNA O site “342agora”, apresentado como iniciativa de um grupo de artistas que pressiona deputados a votarem pela aprovação da denúncia contra Michel Temer, foi criado por um coletivo digital que tem ligações com a Mídia Ninja e o Fora do Eixo.

Filhote Os dois movimentos participaram, em 2013, das jornadas de junho. O hacker que fez o registro participou de atos de CUT, PT e MST.

Castigo A deputada Renata Abreu (Podemos-SP), que votou contra Temer na CCJ, vai perder um cargo. O diretor de Administração da Funasa, indicado por ela, será exonerado nesta quarta (19).

Deixa disso Diversos atores entraram em cena para desfazer qualquer desconforto entre Michel Temer e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Do exterior, o senador Agripino Maia (DEM-RN) minimizou o aceno de Temer ao PSB e pediu calma à sua sigla.

Pela metade O Democratas age para atrair dissidentes do partido socialista e fará uma reformulação para receber esse grupo — estimado em 14 dos 36 deputados do PSB, além de ao menos um senador. O programa da nova versão da legenda deve ser apresentado na primeira quinzena de agosto.

Vem todo mundo Um dos primeiros partidos a sofrer com o fortalecimento do DEM foi o PRB, que perdeu o deputado Alan Rick (AC).

Negócio da China Michel Temer recebeu ao menos uma boa notícia nesta terça (18). Em reunião com empresários chineses, ouviu que eles pretendem injetar cerca de US$ 65 bilhões nos próximos quatro anos na economia brasileira.


Para já Os estrangeiros convidaram Temer a fazer, durante sua visita de Estado à China, em setembro, uma rodada de conversas com investidores daquele país. O peemedebista pediu para a equipe encaixar o compromisso em sua agenda.

Visita à Folha Hussein Kalout, secretário especial de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, visitou a Folha nesta terça-feira (18), a convite do jornal, onde foi recebido em almoço.


TIROTEIO

Os que gostam de derrubar governos devem achar que, com o parlamentarismo, vão poder repetir a prática todos os anos.

DA SENADORA GLEISI HOFFMANN (PR), presidente nacional do PT, sobre o debate a respeito da implementação do parlamentarismo como sistema de governo.


CONTRAPONTO

Gentileza gera gentileza

Em seu primeiro mandato na Presidência, Lula concedeu entrevista ao radialista mais popular de Recife, Geraldo Freire, da Rádio Jornal.

Durante a conversa, ao vivo, Geraldo elogiou o relógio que Lula usava. O então presidente abriu a pulseira de seu Citizen e estendeu o objeto:

— Gostou? É seu! — disse, entregando o acessório ao jornalista.

Para não ficar por baixo, o radialista retribuiu o gesto.

— Pois fique com o meu, então! — disse Geraldo Freire, que tirou do próprio punho o relógio recém-comprado em Miami e repassou ao petista.