Após Cármen Lúcia ignorar Temer, ministro da Justiça acionou quatro integrantes do Supremo

Por Painel

Águas na fervura Ao menos quatro integrantes do Supremo foram procurados, no fim de semana, pelo ministro da Justiça, Torquato Jardim, numa operação para mitigar suspeitas de que a Abin estaria espionando o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato. Jardim foi acionado depois que a presidente do STF, Cármen Lúcia, divulgou pesada nota condenando a suposta ação mesmo após Michel Temer negar qualquer ato neste sentido diretamente a ela. O clima entre os poderes é de desconfiança.

RSVP A Rede apresentou, nesta segunda (12), pedido de convocação do ministro do GSI, Sergio Etchegoyen, para que ele dê explicações sobre informação da revista “Veja” de que Michel Temer teria acionado a Abin para investigar Edson Fachin.


Tudo um pouco Com quem falou, Torquato Jardim adotou um mantra quando perguntado sobre como está a vida na Justiça. “Acordo com a tanga e termino o dia com a toga”, disse a colegas, numa brincadeira com o leque de assuntos da pasta.

Más línguas A decisão de Cármen Lúcia de nomear diretora-geral do Conselho Nacional de Justiça Julhiana Melloh foi amplamente criticada no Supremo e no CNJ. A servidora é casada com o juiz auxiliar do gabinete da presidente do STF.

Más línguas 2 Houve forte reação, especialmente porque Melloh assumiu o posto de um antigo funcionário do CNJ. A nomeação foi publicada nesta segunda-feira (12). Há divergência no CNJ sobre se é possível falar em nepotismo. Procurada, a assessoria do conselho não retornou.

Encontro marcado O ministro Marco Aurélio Mello, relator no STF do pedido de prisão de Aécio Neves (PSDB-MG), indicou que deve levar o caso para a primeira turma da corte na próxima semana, no dia 20.

Nova direção O Banco do Brasil vai reformular seu setor de contratações. Depois, no segundo semestre, vai publicar novo edital para a escolha de agências de publicidade.

Regime fechado A Justiça de São Paulo negou pedido de habeas corpus da defesa de Silvonei José de Jesus Souza, hacker que clonou o celular de Marcela Temer e chantageou a primeira-dama.

Vespeiro Na decisão contra o hacker, os juízes destacaram “a gravidade dos delitos, que constituem inegável fonte de clamor público”.

Tiro na asa Vencida a ala que pregava o desembarque do PSDB do governo, tucanos acordaram que foi um erro crasso estabelecer prazo para deliberar sobre a questão.

Gaiola As idas e vindas ampliaram o desgaste do partido. Agora, um grupo de cinco deputados estuda trocar o tucanato pelo PSL, que vai mudar de nome para Livres.

Lugar certo Rui Falcão, que deixou a presidência do PT para a senadora Gleisi Hoffmann (PR), aceitou ocupar cargo no diretório nacional da sigla. Todo o quadro será montado no fim deste mês.

Gol de letra Em tempos de “gestores” na política, o nome do presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, surge como possível candidato ao governo do Rio. Sua atuação para sanear a crise financeira do clube é vista com bons olhos pela Rede.

Visitas à Folha Vijay Rangarajan, embaixador britânico no Brasil, visitou a Folha nesta segunda-feira (12). Estava acompanhado de Barbara Taborda dos Reis, diretora-adjunta de comunicação do Consulado-Geral do Reino Unido em São Paulo.

Jacques Marcovitch, professor emérito da Faculdade de Economia e Administração da USP (Universidade de São Paulo), visitou a Folha nesta segunda (12). Estava acompanhado dos professores Alexandre Macchione Saes, da USP, e Palmira Petratti, da Unesp (Universidade Estadual Paulista).


TIROTEIO

Esse é o retrato de um país complacente com a tortura. Temos que nos questionar sobre o tipo de sociedade em que vivemos.

DE JUANA KWEITEL, diretora da ONG Conectas, sobre os dois homens que torturaram um adolescente e tatuaram a palavra ‘ladrão’ na testa dele.


CONTRAPONTO 

No laço

Na quinta (8), Renan Calheiros (PMDB-AL) homenageou o bicentenário de seu Estado em um discurso. Ao fim da fala, destacou o potencial da vaquejada e citou o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

— Temos, assinada pelo senador Eunício, proposta para regulamentação da vaquejada que, tenho certeza, pelos compromissos com Ceará e com o Nordeste, vai ter uma rapidíssima tramitação!

Eunício, então, respondeu:

— Realmente, Alagoas é fascinante. E vossa excelência não deixou de ser vaqueiro ainda.

— Não! Estou em pleno vigor! — respondeu Renan.