Procurador preso pela Lava Jato contrata advogado criminalista que comparou força-tarefa ao Taleban

Por Painel

Do outro lado Preso pela Lava Jato no esteio da delação da JBS, o procurador Ângelo Goulart Vilela, que era próximo à força-tarefa, contratou como advogados a ex-ministra do TSE Luciana Lóssio e o criminalista Técio Lins e Silva.

Do outro lado 2 A escolha de Lins e Silva despertou curiosidade. O advogado é um dos mais fervorosos críticos dos investigadores da Lava Jato — chegou a chamá-los de “talebans” e fez comparações com a ditadura.

Leia a íntegra da coluna aqui.