Ministro entrega proposta de regulamentação do lobby; texto veta presentes a agentes públicos

Por Painel

Apertar o cinto O ministro Torquato Jardim (Transparência) entrega nesta terça (16) ao presidente Michel Temer proposta de texto para decreto que regulamente o lobby. O projeto proíbe agentes públicos de receber qualquer presente — hoje são admitidos mimos de até R$ 100 — de quem tenha interesse em parecer, recomendação ou voto. Também estende a todos os servidores a obrigação de divulgar agenda de reuniões. Hoje, só cargos de confiança de escalão superior têm essa imposição.

Foco A regulamentação do lobby se tornou alvo de forte interesse após a Lava Jato disseminar uma série de questionamentos sobre as relações entre políticos e empresários. O DEM ensaiou retomar discussão sobre o tema no Congresso no ano passado, mas não teve fôlego.

Na medida O ministro Torquato Jardim defende o texto formulado por sua pasta e diz que a proposta “atende a compromissos anticorrupção assumidos pelo Brasil junto à ONU e à OCDE”.

De fora Membros do Ministério Público Federal reclamaram que a ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República) restringiu apenas aos que estão entre seus associados o direito de votar para eleger a lista tríplice que concorrerá à vaga de Rodrigo Janot.

Digo sim Abalado com a última operação da PF, o empresário Joesley Batista, dono da JBS, decidiu avançar nas negociações para um acordo de delação premiada. A pessoas próximas, disse estar com medo de ser preso. Decidiu passar um tempo nos EUA, onde também tem casa.

Coisa de rotina Procurada, a JBS diz que não confirma as negociações e que o empresário mantém a rotina de viagens aos EUA há pelo menos dois anos.

E se… A certeza de que a delação de Antonio Palocci deve levar o ex-presidente Lula mais uma vez ao centro da Lava Jato intensificou conversas dentro do partido sobre um plano B para a disputa presidencial de 2018.

… não der? São lembrados como opções o ex-prefeito Fernando Haddad (SP) e o ex-governador Jaques Wagner (BA). O ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE), apontado como alternativa de fora do partido, desagrada parte dos petistas, como o presidente da sigla, Rui Falcão.

Com fé eu vou Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo) embarca na hora do almoço com o secretário da Previdência, Marcelo Caetano, para Diamantina (MG). Vão conversar com o arcebispo da região metropolitana, Darci Nicioli, sobre a reforma. A CNBB critica a proposta.

Dois coelhos Analistas do mercado dizem que a votação das novas regras para aposentadoria até o fim deste mês poderia acelerar a queda da taxa de juros. A decisão de levar o tema ao plenário da Câmara daria uma sinalização de confiança ao Copom, que se reúne dia 31.

O quanto antes No Planalto, há perspectiva de que a Previdência possa ir a votação dia 24. Se precisar de mais tempo, o governo joga para a última semana de maio.

Ampulheta Os dois ministros nomeados por Temer para o TSE vão aproveitar a previsão de retomada do julgamento que pode cassar o presidente para junho para ler todo o processo. Não querem pedir vista da ação.

Diplomacia Representante do Comércio de Donald Trump, Robert Lighthizer recebeu nesta segunda (15) telefonema de Roberto Azevêdo, chefe da Organização Mundial do Comércio. Os dois ficaram de falar pessoalmente.

Axé Vereador ligado aos irmãos Lúcio e Geddel Vieira Lima, Felipe Lucas (PMDB) quer conceder a João Doria (PSDB-SP) o título de cidadão honorário de Salvador. Dará ao prefeito, visto como presidenciável, a chance de ampliar exposição no Nordeste.


TIROTEIO

Alckmin terá que lançar seu nome sempre que estiver com Doria, para não ser atropelado pelo pupilo, também candidato.

DE JOSÉ AMÉRICO (PT-SP), deputado estadual, sobre o governador Geraldo Alckmin se reafirmar como presidenciável em evento com João Doria, nos EUA.


CONTRAPONTO

Radical livre

Na última quinta (11), governadores do Nordeste fizeram reunião, em Salvador, para discutir os termos de uma carta a ser enviada ao presidente Michel Temer. Já no início da conversa, Renan Filho (PMDB-AL) defendeu que a mensagem do grupo fosse enérgica.

Flávio Dino (PC do B), do Maranhão, usou a deixa:

— Saúdo o camarada Renan e o convido para se filiar ao meu partido, que faz oposição!

Passados 10 minutos, Renan Filho foi ainda mais incisivo nas críticas ao governo federal. Dino brincou de novo:

— Desisto do convite. O PC do B está muito moderado para Renan Filho… Melhor procurar o PSTU!