Para procuradores, Janot se envolveu em ‘guerra de lama’ e abriu brecha para questionamentos

Por Painel

Caixa de Pandora Em debates internos, integrantes do MPF disseram que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se envolveu em uma guerra de lama ao solicitar o impedimento do ministro Gilmar Mendes, do STF, tendo, dentro de sua casa, um caso controverso. A revelação de que a filha de Janot advoga para empreiteiras que tentam firmar leniência abriu espaço para o questionamento de acordos feitos pela Lava Jato e ampliou o potencial destrutivo da guerra entre a PGR e parte do Supremo.

Mirim Procuradores afirmaram que, no mínimo, Janot cometeu um erro crasso de estratégia. Juízes que o apoiam também avaliaram, em reserva, que o cenário tende a recrudescer. Dizem que Gilmar Mendes tem resiliência para apanhar e revidar.

Porteira Advogados lembraram que a delação da OAS, uma das empresas para qual a filha de Janot atua no Cade, foi suspensa por ele após um vazamento. Veem nisso um ponto de partida para atacar o que chamam de “seletividade” nos acordos de colaboração.

Dia após o outro Crítico de Gilmar Mendes, o deputado Wadih Damous (PT-RJ) disse “não levar a sério” o pedido de impedimento de Janot. Para ele, o procurador-geral teve apego às normas “políticas e não às jurídicas”.

Verão passado Em 2016, Damous defendeu o impeachment de Mendes alegando “desrespeito à toga”. O deputado desembarca nesta quarta (10), às 6h, em Curitiba, para acompanhar o depoimento do ex-presidente Lula.

Treino é treino Na véspera de seu depoimento ao juiz Sergio Moro, o principal compromisso de Lula nesta terça (9) foi assistir à vitória da Juventus sobre o Monaco na semifinal da Champions League da Europa.

Em outra Alheio à polêmica no STF, Luís Roberto Barroso se prepara para falar sobre o “momento institucional brasileiro” no Brazil Forum Uk 2017, evento da Universidade de Oxford e da London School of Economics.

Tenham fé O líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), disse a sindicalistas nesta terça (9) que o presidente Michel Temer está disposto a editar medida provisória para “consertar” o fim do imposto sindical.

Vale tudo Em meio às concessões para aprovar a reforma da Previdência, o ex-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), emplacou um aliado no Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. O ato surpreendeu. Maranhão anulou o impeachment de Dilma Rousseff após Temer assumir.

Ombro amigo José Alexandre da Costa Machado, amigo do filho do deputado, será diretor da ABDI (Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial).

Tudo nos ares O prefeito João Doria refuta a tese de que sua relação com Geraldo Alckmin esteja estremecida. A quem pergunta, diz que os dois vão fazer, unidos, na próxima semana, périplo entre investidores dos Estados Unidos para buscar recursos.

Chega na frente Doria embarca para Nova York no sábado (12). Na cidade, recebe prêmio de “personalidade do ano”. Alckmin chega aos EUA no domingo (13).

Conexão O secretário-geral do Itamaraty, Marcos Galvão, tem viagem marcada para os EUA em junho. Deve discutir a visita do presidente Michel Temer a Donald Trump. O encontro tende a ficar para setembro.

Visita à Folha O coronel Nivaldo Cesar Restivo, comandante-geral da Polícia Militar de São Paulo, visitou a Folha nesta terça-feira (9), onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado do coronel Adilson Luís Franco Nassaro, chefe do Centro de Comunicação Social da PM, e do major Alexandre Roberto Antunes, chefe da divisão de Mídia.


TIROTEIO

Moro diz que a audiência com Lula não é um confronto, mas só uma guerra declarada justifica o contingente policial em Curitiba.

DE EMÍDIO DE SOUZA, dirigente do PT, sobre o esquema de segurança para o depoimento do ex-presidente ao juiz Sergio Moro, nesta quarta-feira (10).


CONTRAPONTO

Errar sem perder a ternura 

Na noite do último dia 20 de abril, o presidente Michel Temer desembarcou em São Paulo para ter uma conversa com o dono do SBT, Silvio Santos. Queria pedir ajuda para falar sobre a reforma da Previdência.

Percorreu o bairro do Morumbi, chegou ao endereço, parou e entrou. Deu de cara com o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, de quem é amigo. Pouco depois, viu que a mulher do empresário, que fazia aniversário, e o restante da família também estavam no local.

— Não podia deixar de passar para dar um abraço — disse. Dias depois, telefonou a Skaf e confessou: havia descido no endereço errado.