Maia vai proibir viagens oficiais de deputados durante votação da reforma da Previdência

Por Painel

Sem saída Assim como fez nesta semana, quando a Câmara aprovou a reforma trabalhista, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), vai proibir viagens oficiais de deputados no período em que há previsão de votação da reforma da Previdência.

Cara a tapa A manobra é para evitar que possíveis deputados infiéis se “escondam” em outros países. Aliados com viagens marcadas estão sendo orientados a remarcar compromissos.

Tá fora O governo dedicou boa parte da tarde desta quinta-feira (27) à tarefa de definir exonerações de indicados por parlamentares que foram infiéis na votação da reforma trabalhista. Ato contínuo, o Planalto premiou com mais cargos quem se manteve firme na base aliada.

Com lupa O presidente Michel Temer não foi o único a analisar detidamente os resultados da votação da reforma. A CNI (Confederação Nacional da Indústria), que defendia a proposta, produziu um relatório de 17 páginas sobre a sessão da Câmara.

Estrelinha A entidade destacou a fidelidade do DEM, a dissidência de Carlos Eduardo Cadoca — expulso do PDT por ser o único na sigla a votar a favor — além dos nomes do PMDB que não ficaram ao lado de Temer.

Nada demais Procurada, a CNI informou que o relatório é um documento interno para acompanhamento de projetos em tramitação no Congresso e que a elaboração desses papéis é uma rotina na entidade.

Leia a coluna na íntegra aqui.