Aliados dizem que Eunício dá sinais de que não pautará projeto que pune abuso de autoridade

Por Painel

Bandeira branca Aliados do presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), dizem que ele já deu sinais à cúpula do Judiciário de que não pretende colocar em votação o projeto que pune o abuso de autoridade. A iniciativa é vista por alguns como uma afronta à Lava Jato.

Não é para tanto Auxiliares do senador, porém, avaliam que, caso haja um amplo movimento do plenário para pautar o tema, ele não terá condições de se colocar como obstáculo à votação da polêmica proposta.

Sede ao pote À frente das manifestações deste domingo (26) a favor da Lava Jato, o MBL (Movimento Brasil Livre) quer lançar entre dez e 15 candidatos a deputado federal nas eleições de 2018.

Pausa estratégica As tratativas com as siglas, no entanto, ainda não começaram. O grupo espera uma definição sobre a reforma política e milita contra o sistema de voto em lista fechada.

Outro front A aprovação da terceirização irrestrita na Câmara fez com que a Frente Povo Sem Medo decidisse aderir às manifestações convocadas para o dia 31 de março. “O próximo passo é tentar revogar a lei áurea”, provoca Guilherme Boulos.

Acelera Líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) quer antecipar as principais propostas de seus colegas para a reforma da Previdência à comissão que discute o tema na Câmara. Ele criou um grupo de senadores para debater as mudanças.

Para já A ideia de Jucá é incluir alterações defendidas pelo Senado no texto da reforma enquanto o projeto ainda está com os deputados. Tudo para encurtar a tramitação da PEC que muda regras de aposentadoria. Busca uma redação de consenso para ganhar tempo quando chegar a vez de a sua Casa analisar o tema.

Leia aqui a íntegra da coluna publicada no jornal