Frigoríficos investigados exportaram US$ 120 mi; valor é 1% do total movimentado pelo setor

Por Painel

Parte pelo todo Os 21 frigoríficos investigados na Operação Carne Fraca exportaram, em 2016, cerca de US$ 120 milhões em produtos. O dado consta de levantamento do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, que está na linha de frente da força-tarefa montada pelo governo para tranquilizar consumidores externos. Segundo o estudo, o volume movimentado pelas firmas que estão na mira da polícia representa menos de 1% do total exportado pelo setor no ano passado: US$ 13,5 bilhões.

Prontidão Procurado, o ministro Marcos Pereira (Mdic) disse que determinou monitoramento diário do caso “para identificar eventuais interrupções bruscas na exportação”. “Vamos atuar para normalizar o acesso ao mercado externo e impedir a perda de postos de trabalho em uma cadeia que emprega cerca de 6 milhões de pessoas.”

Linha direta Em outra ponta, três órgãos do governo destacaram equipes para responder questionamentos de países importadores sobre a qualidade da carne brasileira e a amplitude da operação da PF. O Ministério da Agricultura coordena os trabalhos, com o apoio da Presidência e do Itamaraty.

Reação ensaiada A Frente Parlamentar da Agropecuária aposta em três estratégias para contornar a crise no mercado de carne. 1) Propor a criação de uma comissão mista para acompanhar as investigações, 2) promover debates com especialistas e 3) estudar o endurecimento de penas para fiscais.

Salvo pelo caos Flagrado em grampos da Carne Fraca, Osmar Serraglio (Justiça) tem conseguido ficar fora do foco do governo Michel Temer. Segundo um auxiliar do presidente, os problemas na frente econômica são tão grandes que ninguém teve tempo de pensar na situação dele até agora.

Leia a coluna completa aqui.