Frigoríficos investigados exportaram US$ 120 mi; valor corresponde a 1% do movimentado pelo setor

Por Painel

Parte pelo todo Os 21 frigoríficos investigados na Operação Carne Fraca exportaram, em 2016, cerca de US$ 120 milhões em produtos. O dado consta de levantamento do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, que está na linha de frente da força-tarefa montada pelo governo para tranquilizar consumidores externos. Segundo o estudo, o volume movimentado pelas firmas que estão na mira da polícia representa menos de 1% do total exportado pelo setor no ano passado: US$ 13,5 bilhões.

Prontidão Procurado, o ministro Marcos Pereira (Mdic) disse que determinou monitoramento diário do caso “para identificar eventuais interrupções bruscas na exportação”. “Vamos atuar para normalizar o acesso ao mercado externo e impedir a perda de postos de trabalho em uma cadeia que emprega cerca de 6 milhões de pessoas.”

Linha direta Em outra ponta, três órgãos do governo destacaram equipes para responder questionamentos de países importadores sobre a qualidade da carne brasileira e a amplitude da operação da PF. O Ministério da Agricultura coordena os trabalhos, com o apoio da Presidência e do Itamaraty.

Reação ensaiada A Frente Parlamentar da Agropecuária aposta em três estratégias para contornar a crise no mercado de carne. 1)Propor a criação de uma comissão mista para acompanhar as investigações, 2) promover debates com especialistas e 3) estudar o endurecimento de penas para fiscais.

Salvo pelo caos Flagrado em grampos da Carne Fraca, Osmar Serraglio (Justiça) tem conseguido ficar fora do foco do governo Michel Temer. Segundo um auxiliar do presidente, os problemas na frente econômica são tão grandes que ninguém teve tempo de pensar na situação dele até agora.

Convocatória O ex-presidente Lula avisou que quer todos os deputados e senadores do PT no evento que o partido realizará nesta sexta (24), em São Paulo, para discutir a Lava Jato.

Você decide O Ministério da Fazenda tem duas opções para o Planalto. Ou o governo faz um contingenciamento de cerca de R$ 60 bilhões ou será preciso aumentar o PIS/ Cofins sobre combustíveis.

Só aqui? O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), vai discutir em reunião com líderes partidários, nesta terça (21), um caminho para projetos que pregam o fim do foro privilegiado. Três propostas que estão na Casa tratam do tema.

Para todos O texto que tem mais simpatia entre os senadores prega o fim do foro para todas as autoridades acusadas de crimes comuns, inclusive membros do Ministério Público e do Judiciário.

Vida (ir)real As novas propagandas do PMDB trazem depoimentos que celebram ações do governo Temer, como a liberação do FGTS. Ao lado das imagens aparece o aviso de que as falas são “baseadas em fatos reais”. O publicitário Elsinho Mouco disse que usou atores para que os filmes ficassem “mais plásticos”.

Não superou Relator da reforma política na Câmara, Vicente Cândido (PT-SP) apresenta sua proposta na próxima semana. Ele afirma que há “algum consenso” sobre o trecho que prega a extinção do cargo de vice.

Ao que importa Cândido propõe que o fundo para financiar campanhas seja abastecido tanto por recursos públicos (70%) como por pessoas físicas (30%). Parlamentares não desistiram, porém, de criar um gatilho que obrigue a União a, para cada real doado pelo contribuinte, pagar mais um.

Formato Há quem defenda que pessoas físicas só possam oferecer serviços. Doações em dinheiro, ponderam parlamentares, tenderiam a favorecer legendas ligadas a igrejas e facções criminosas.


TIROTEIO

Quantos deputados da lista do [Rodrigo] Janot serão indicados para presidir comissões ou compor o Conselho de Ética?

DO DEPUTADO FEDERAL CHICO ALENCAR (PSOL-RJ), sobre a atuação na Câmara de parlamentares citados na relação do procurador-geral da República


CONTRAPONTO

Em fevereiro, o deputado Vitor Valim (PMDB-CE) pediu ao colega Lincoln Portela (PRB-MG), que presidia a sessão, que seu tempo de fala fosse recuperado para que pudesse voltar a falar e concluir o discurso.
O mineiro respondeu que havia uma lista de oradores inscritos, e que parlamentares como Carlos Henrique Gaguim (PTN-TO) estavam na dianteira da fila.
— O deputado Gaguim já falou dez vezes. Está bom demais — reclamou o peemedebista, aos risos.
Em seguida, Valim emendou:
— E isso porque é ‘Gaguim’. Imaginem se não fosse! Imaginem…