No Planalto, torcida por sucesso de leilão de aeroportos supera preocupação com lista de Janot

Por Painel

Tábua de salvação O principal foco de apreensão do governo nesta quinta (16) não está nos desdobramentos da rumorosa lista de inquéritos do procurador-geral Rodrigo Janot, mas no leilão para concessão de quatro aeroportos à iniciativa privada. Na avaliação da equipe econômica, um eventual desinteresse dos investidores tornaria o leilão um fiasco e seria interpretado pelo mercado como um gesto de desconfiança na recuperação da economia, principal aposta para a sobrevivência de Michel Temer.

Passou batido Aliados comemoraram a reação do mercado após os primeiros desdobramentos da delação da Odebrecht. A Bolsa subiu e o dólar caiu um pouco. Explicação: a lista de Janot já estava precificada e os investidores estavam mais preocupados com a decisão do Fed, o banco central americano, que aumentou os juros nos EUA.

Subiu no telhado O governo e líderes aliados no Congresso fecham nesta segunda-feira (20) o desenho da primeira força-tarefa para tentar viabilizar a reforma da Previdência. Ministros que foram pinçados por Temer no Parlamento serão obrigados a circular pelo Legislativo para convencer os ex-colegas de plenário a apoiar as medidas.

Missão dada Temer já avisou que quer relatórios regulares sobre o desempenho da tropa de choque governamental pela reforma.

Nem lá nem cá Abatido por acusações vinculadas à Lava Jato, Eliseu Padilha (Casa Civil) é visto por entusiastas da reforma da Previdência no mercado como um copo meio cheio, meio vazio: ele continua fundamental para a aprovação das mudanças, mas sua presença faz da investigação uma pauta permanente no Planalto.

Palma para maluco O presidente do Sebrae, Guilherme Afif, fez defesa enfática da reforma tributária e, em especial, da simplificação da cobrança do ICMS na reunião do conselho de secretários de Fazenda, nesta quarta (15). Diante de plateia pouco amistosa à tese, disse que o modelo aplicado hoje é um “manicômio tributário”.

Inimigo íntimo A Associação dos Funcionários do BNDES abrirá espaço a vozes da oposição a Temer no Congresso em ato nesta sexta (17). Trata-se de protesto contra mudanças na taxa de juros de longo prazo em estudo na equipe econômica.

Leia também no Painel