Em primeiro embate sobre Previdência, Câmara sinaliza que vai alongar cronograma do governo

Por Painel

Cabo de guerra As primeiras conversas entre o Planalto e a Câmara indicam que a tramitação da reforma da Previdência não será tão fácil quanto Michel Temer esperava. O governo quer que o relatório final seja apresentado na comissão especial até março, mas foi avisado de que não deve ficar pronto antes de abril. O mercado vê a data como limite para que a aprovação final no Congresso aconteça ainda no primeiro semestre, o que considera essencial para as agendas política e econômica do peemedebista.

Tamo junto O Planalto até se assustou com a fala de Rodrigo Maia (DEM-RJ) contra o líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), mas a tese de que a função precisa de alguém mais afinado com o presidente da Casa é compartilhada por Temer.

Roupa limpa A sensação de ministros palacianos é a de que as conversas dos últimos dias conseguiram distensionar o ambiente, principalmente entre Maia e o PMDB.

Tripé O PMDB reivindica a liderança do governo na Casa com o argumento de que não pode ficar fora do triunvirato que toca a política do Planalto — já composto por Maia, do DEM, e Antonio Imbassahy, do PSDB, ministro da Secretaria de Governo.

Trono Edison Lobão é o favorito para assumir a presidência da Comissão de Constituição e Justiça do Senado. Peemedebistas lembram que ele foi ministro de Minas e Energia em uma época em que a pasta fazia chover e que colecionou aliados à ocasião.

Logo ele Governistas já se preparam para a avalanche de críticas pelo fato de ele ser alvo da Operação Lava Jato.

Fala que te escuto Novo líder do PMDB, Renan Calheiros quer montar uma agenda de visitas periódicas dos ministros de Temer à bancada.

apode0802painel

Bombonera No almoço com Temer, o argentino Mauricio Macri se divertiu ao ver que as mesas eram identificadas por nomes de clubes de futebol. Saiu até em fotos ao lado da placa do Boca Juniors, do qual foi cartola por anos.

No topo Durante a crise prisional, Temer confidenciou a auxiliares que, caso precisasse mudar o titular do Ministério da Justiça, Antonio Cláudio Mariz de Oliveira voltaria a ser sua primeira opção.

Na paz Diante da inclusão de Ellen Gracie e Carlos Ayres Britto na lista de cotados para a Justiça, pessoas próximas a Temer ponderam que ambos têm perfil “pacífico demais” para lidar com a situação turbulenta dos presídios.

Sete chaves Parte da família de Eduardo Cunha nunca soube do aneurisma que o ex-deputado revelou nesta terça (7) em audiência com o juiz Sergio Moro. Só havia sido informada após a prisão.

Follow-up Advogados de Lula escreveram aos deputados americanos que se solidarizaram com o ex-presidente. Dizem que seus direitos têm sido “sistematicamente violados” e prometem mantê-los informados do caso.

Lupa Também se dizem preocupados com a possibilidade de o Departamento de Justiça americano ter violado termos do tratado de cooperação criminal com o Brasil.

Pós-Carnaval A Frente Brasil Popular fará três manifestações em março contra as reformas trabalhista e da Previdência. No dia 31, incluirá as bandeiras do “Fora, Temer” e das eleições diretas.

Vida que segue Preterido na sucessão no STF, Ives Gandra Filho, do TST, vai à Fundação FHC na sexta (10) para um debate sobre a reforma trabalhista. Dividirá a mesa com Ricardo Patah, da UGT.

A la playa No momento em que reúne feitos de seu governo mirando a eleição de 2018, Geraldo Alckmin conseguiu derrubar a liminar que paralisava as obras de prolongamento da rodovia Carvalho Pinto, que liga o vale do Paraíba ao litoral — uma de suas “meninas dos olhos”.


TIROTEIO

A pressão das ruas e dos deputados não vai permitir que o governo acione seu trator para acelerar a comissão especial da Previdência.

DO DEPUTADO PAULO PEREIRA DA SILVA (SD-SP), sobre a tramitação na Câmara da PEC enviada pelo governo para alterar as regras de aposentadoria.


CONTRAPONTO

Fiel escudeiro

Em dezembro de 2012, Alexandre de Moraes deixava o DEM para se filiar ao PMDB a convite de Michel Temer e Gabriel Chalita. Na cerimônia que formalizou a adesão do hoje ministro, recém-indicado ao Supremo, Chalita falava do desafio de renovar os quadros da sigla.

— Alexandre se enquadra neste novo perfil político que busca o PMDB.

Moraes, que três anos depois mudaria de partido mais uma vez — agora para entrar nos quadros do PSDB –, jurou lealdade ao PMDB de Temer:

— Coloco-me aqui como um soldado pronto para, a partir de hoje, defender as bandeiras peemedebistas.