Para integrantes da Comissão de Ética, mesmo após defesa Geddel não explicou acusações de Calero

Por Painel

Pano para manga Integrantes da Comissão de Ética da Presidência dizem que, mesmo após a entrega de sua defesa, Geddel Vieira Lima ainda não conseguiu “fazer um enfrentamento detalhado” de todos os pontos da acusação de que pressionou Marcelo Calero a liberar uma obra na Bahia. Segundo eles, há lacunas nas versões apresentadas pelo antigo chefe da articulação política de Michel Temer. Há risco, inclusive, de que esses supostos buracos arrastem outros integrantes do governo para o caso.

Hein? A confusão em que a classe política se meteu nas últimas semanas — caso Geddel, dez medidas e abuso de autoridade — fez embaixadores sediados no Brasil questionarem se não havia mesmo sentido na tese petista de golpe para estancar a Lava Jato.

Lenha na fogueira O PT vai levar à reunião das bancadas de oposição no Senado, na próxima segunda-feira, a possibilidade de os partidos pedirem o afastamento de Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência da Casa, depois de o STF tê-lo tornado réu.

Dois irmãos A saída de Renan deixaria a presidência nas mãos de Jorge Viana (PT-AC), pesadelo de Temer. Em 2007, quando ele renunciou, foi Tião Viana, irmão do petista, quem assumiu a Casa.

007 – Operação Skyfall A área de inteligência do governo federal identificou um crescimento bastante expressivo de adesões aos protestos marcados para este domingo.

apode0312painell

Lambe-lambe Ministros repassam memes diariamente a sua lista de contatos. Mas um deles surpreendeu pelo conteúdo: “Pai Temer. Trago de volta PSDB, desemprego e juros altos. Desfaço direitos trabalhistas e amarro a economia. Sem nenhum voto! E em menos de 180 dias!”.

Na janelinha Antonio Imbassahy, o líder tucano na Câmara, pegou carona para voar com Temer de Brasília a São Paulo. Há no PSDB e no DEM quem queira vê-lo na Secretaria de Governo. A hipótese também amarraria o partido ao governo e evitaria um afastamento repentino.

Morde Na terça-feira (6), quando o governo enviará ao Congresso a reforma da Previdência, o ministro Henrique Meirelles (Fazenda) e o secretário Marcelo Caetano se reunirão com sindicalistas da UGT, em São Paulo, para detalhar a proposta.

Assopra A central é terreno confortável para Meirelles. Seu presidente, Ricardo Patah, e o ministro da Fazenda são colegas de partido, o PSD.

Nada se cria No pedido de impeachment do presidente Michel Temer, a oposição também recorre a Rui Barbosa, como fizeram os autores do documento que pediu a saída de Dilma Rousseff.

Dividir para somar No momento em que o Mercosul oficializa a suspensão da Venezuela, Marcos Pereira (Indústria) propõe reunião permanente de ministros do setor dos países do bloco.

Blindagem A ideia surgiu em um encontro recente do ministro com Gustavo Leite, que comanda a área no Paraguai, para fortalecer o bloco em meio ao temor da volta do protecionismo.

Apertem os cintos O governo Alckmin prepara suas finanças para um ano difícil. Tanto que o superavit planejado para este ano, de R$ 1,5 bilhão, deve cair para R$ 217 milhões em 2017.

Aqui não A Câmara de São Bernardo do Campo rejeitou a construção do Museu do Trabalho e do Trabalhador. Com investimentos de R$ 14 milhões do Ministério da Cultura, as obras estão paradas há quase dois anos.

Muda a chave O prefeito eleito, Orlando Morando (PSDB), dará outro destino ao prédio, que teria uma ala dedicada a Lula. O tucano procurou Roberto Freire (Cultura) para mudar o convênio com a pasta e erguer no lugar uma Fábrica de Cultura, do governo Alckmin.


TIROTEIO

No julgamento, ficou comprovado que não houve pagamento de pensão alimentícia por lobista nem falsidade ideológica.

DE LUIS HENRIQUE MACHADO, advogado de Renan Calheiros, sobre a decisão do Supremo de tornar réu o presidente do Senado sob a acusação de peculato.


CONTRAPONTO

Fazendo de um limão uma limonada

Conhecido pela sagacidade, Alberto Silva era governador do Piauí em um momento em que o Estado, assolado por uma seca cruel, passava por uma crise sem precedentes. Em uma viagem a uma cidade do interior, mandou preparar um evento para a inauguração de um hospital.

Quando foi anunciado pelo locutor, tomou uma vaia da população que se estendeu longamente.

Ouviu em silêncio, com os braços para trás. Na hora em que o povo cansou, pegou o microfone e tascou:

— É a primeira vez na minha vida que eu vejo vaiarem um hospital!

Intimidado pela fala, o povo emendou aplausos.