Às vésperas da reforma da Previdência, governo tenta retomar convênios com centrais sindicais

Por Painel

Baú da felicidade Às vésperas de apresentar a reforma da Previdência, o governo avisou às centrais sindicais — principais opositoras das mudanças — que pretende retomar convênios para que elas toquem cursos de capacitação profissional. A ideia do Ministério do Trabalho é oferecer cerca de R$ 100 milhões no programa, que seria apresentado até o fim do mês. A proposta esbarra na falta de disposição de parte das entidades para assinar acordos do tipo, que já renderam ações por fraudes no passado.

Tapas e beijos Depois do namoro que quase resultou em fusão, Força Sindical e UGT agora travam uma batalha para atrair sindicatos.

Ideia fixa A central de Paulinho da Força (SD-SP) tomou três grandes corporações da rival, o que renderá R$ 1,3 milhão extra por ano em repasses do imposto sindical.

Guerrilha Animada com a decisão do STF que pode aumentar a parcela dos Estados na repatriação, a Frente Nacional de Prefeitos orientou os municípios a ir à Justiça para também ampliar sua fatia do bolo. Distribuiu até um recurso modelo aos prefeitos.

Cofrinho Para a entidade, os municípios têm direito a um extra de R$ 5,2 bilhões.

apode1411paiinel

‌Natureba Ao prometer ao Greenpeace e à Via Campesina a criação de uma comissão na Câmara sobre cultivo natural e restrição a agrotóxicos, Rodrigo Maia brincou: disse apoiar a pauta porque só come alimentos orgânicos.

Ficamos assim A Câmara recebeu representação contra um ex-servidor da Corregedoria, José Augusto Torres, que teve a sogra e um enteado nomeados por Franklin Lima (PP-MG) após a conclusão de um procedimento sobre o deputado no órgão.

Outro lado Torres atribui a denúncia à sua candidatura ao CNJ. Diz que o processo seguiu o padrão da Corregedoria, que não atuou nas nomeações e que, para evitar nepotismo, pediu a exoneração da sogra quando soube da contratação. A coluna não conseguiu contato com Lima.

Bandeira branca Em meio à discussão sobre o candidato do PSDB à Presidência em 2018, dirigentes do partido em São Paulo fazem um gesto de pacificação entre Geraldo Alckmin e Aécio Neves.

Faz selfie O presidente nacional da sigla foi convidado a participar do ato em que o partido reunirá todos os prefeitos eleitos e reeleitos no território paulista, dia 19. Tucanos querem Alckmin e Aécio juntos no palco para mostrar que o PSDB está unido.

Ato contínuo O presidente do TSE, Gilmar Mendes, incluirá em pauta a ação contra a chapa Dilma-Temer assim que o relator liberar o processo, como é feito com todos os casos no tribunal.

Prevenção Desde já, o dilmista Orlando Silva (PC do B-SP) tem trabalhado intensamente junto ao Planalto para manter Rosana Alcântara na direção da Ancine. O mandato dela acaba em fevereiro.

Hasta la victoria A agência é um dos bunkers do antigo governo. Fotos dos diretores no site do órgão ainda ostentam o retrato de Dilma Rousseff na parede ao fundo.

Teus sinais Cresce no PT o receio com a possibilidade de delação de Paulo Ferreira. A mulher do ex-tesoureiro, a ex-ministra Tereza Campello, não quis trabalhar na liderança da minoria no Senado. A vontade de manter distância foi vista com preocupação.

Não é invasão Líder do MTST, Guilherme Boulos receberá a Medalha Mérito Legislativo da Câmara. A indicação foi da bancada do PSOL.

Chapéu alheio Prefeitos recém-eleitos queixam-se de que os atuais gestores estão torrando o Orçamento nos últimos meses de mandato. Um deputado foi informado de que, em uma cidade baiana, o derrotado lançou mais de dez licitações para queimar a última parcela do Fundeb.


TIROTEIO

As relações entre público e privado ganham sua versão biquíni e calção de banho. Lula mergulhou nas águas dos maus exemplos.

DO DEPUTADO MARCUS PESTANA (PSDB-MG), sobre a suspeita da PF de que a Odebrecht tenha trocado reforma na piscina do Alvorada por favores de Lula.


CONTRAPONTO

Na última terça-feira, senadores discutiam, na Comissão de Constituição e Justiça da Casa, a PEC que impõe um limite aos gastos do governo. Kátia Abreu (PMDB-TO) argumentava contra o texto. Segundo ela, com a medida, o Parlamento entregava ao Executivo prerrogativas sobre a lei mais importante do Congresso, a Lei Orçamentária.

— Nós estamos reduzindo, diminuindo enormemente o nosso trabalho e a nossa função.

Para ilustrar, decidiu fazer uma sugestão que deixou colegas de cabelo em pé:

— Sem nenhuma brincadeira, eu acho que nós deveríamos, a partir de hoje, reduzir até os nossos salários!