Cresce temor no governo de que ministro do TSE recomende cassação da chapa Dilma-Temer

Por Painel

Letreiro brilhante Um sinal de alerta acendeu-se entre tucanos e integrantes do governo: nos últimos dias, cresceu o temor de que o ministro Herman Benjamin recomende a cassação da chapa Dilma-Temer, sem separação de presidente e vice. Benjamin é o relator das ações no TSE e já se fala que seu voto não demorará a ser divulgado. Para auxiliares de Michel Temer, uma recomendação dessa natureza geraria incertezas no mercado financeiro, ainda que ela precise ser ratificada pelo restante da corte.

Digital Tucanos nutrem a expectativa que o Cartão Reforma, lançado nesta quarta pelo Ministério das Cidades, seja o programa social “para o PSDB chamar de seu”. A ideia é investir na marca principalmente em 2018, quando o orçamento deve ser maior.

image1 (2)

À la Fidel Rivais e até aliados têm um temor extra caso Rodrigo Maia seja reeleito em 2017: o “risco” de o deputado se manter na presidência da Câmara até 2021 — isso porque a possibilidade de recondução na troca de legislaturas está expressa na lei.

Falou e disse Além de precedentes do Judiciário e do Congresso, aliados de Maia investem em pareceres próprios para sustentar sua reeleição. O escritório do jurista Heleno Torres foi contatado para estudar o caso.

Arestas As bancadas de PMDB e PSDB — as maiores da base aliada de Michel Temer — já começam a se acotovelar por posições na Mesa, caso a candidatura de Maia vingue com apoio das duas.

Por partes O governo estuda adotar uma “linha de corte” para ir à Justiça pedir o ressarcimento de quem teve o valor da aposentadoria revisto por ter continuado a trabalhar mesmo depois de entrar no INSS — caso o Supremo deixe aberta a possibilidade.

Pragmatismo A ideia é não cobrar de quem não tiver como pagar — técnicos avaliam que apresentar as ações nesses casos pode resultar até em desperdício de recursos, já que o dinheiro da “desaposentação” não voltaria aos cofres do Tesouro.

Timbrado Temer recebeu Ricardo Patah, da UGT, nesta quarta-feira (9) e, segundo o sindicalista, o presidente prometeu enviar a reforma da Previdência ao Legislativo até 3 de dezembro.

Estica Patah também disse ter ouvido a promessa de que a reforma incluirá o leilão de imóveis sem uso da Previdência e a cobrança de R$ 300 bilhões de dívidas ativas.

Na moita Apesar da posição a favor da cláusula de barreira (mecanismo que inibiria a existência de partidos pequenos), o PT permitirá nos bastidores que suas bancadas votem contra a medida.

Eu, tu, eles Isso porque tradicionais aliados, caso do PC do B, e partidos que se posicionaram contra o impeachment, como o PSOL, poderiam sumir do mapa.

Lá e cá Eis o discurso: petistas dirão que são a favor da medida, mas que votarão excepcionalmente contra por entender que há um ataque especulativo da direita contra as legendas de esquerda.

Casa própria Ex-secretário da Casa Civil de Geraldo Alckmin, Edson Aparecido comandará a Cohab (empresa municipal de habitação) na gestão João Doria.

Pontes Alckmin aproveitará sua ida a Nova York, nesta quinta (10), para se reunir com António Guterres, novo secretário-geral da ONU.

Visitas à Folha Mansueto de Almeida, secretário de Acompanhamento Econômico do Ministério da Fazenda, visitou a Folha nesta quarta (9), a convite do jornal, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Mauro Zanatta, assessor especial.

Marcelo Lyra, vice-presidente da Odebrecht, visitou a Folha nesta quarta (9). Estava acompanhando de João Rodarte, presidente da CDN Comunicação.


TIROTEIO

Os EUA elegeram um republicano; o Rio de Janeiro elegeu um republicano. Quem sabe o Brasil não faça o mesmo em 2018.

DO MINISTRO MARCOS PEREIRA (Indústria), presidente nacional do PRB (Partido Republicano Brasileiro), sobre as disputas eleitorais aqui e lá.


CONTRAPONTO

Torça, mas não apareça na foto

Durante o segundo turno das eleições municipais, diversos candidatos do PSOL acabaram por recusar o apoio explícito de petistas.

No interior de São Paulo, um deputado estadual do PT contou um episódio curioso.

Durante uma reunião do partido, relatou ter mandado uma mensagem pelo celular ao candidato do PSOL em Sorocaba, Raul Marcelo.

— Como posso ajudá-lo na campanha deste ano? — indagou o aliado.

A resposta veio em segundos:

— Mande para mim suas boas energias.