Michel Temer quer Romero Jucá como líder do governo no Congresso

Por Painel

Filho pródigo O presidente Michel Temer deve convidar o senador Romero Jucá (PMDB-RR) para assumir o cargo de líder do governo no Congresso Nacional. O Palácio do Planalto quer reforçar sua posição no Legislativo e vê o peemedebista como um negociador habilidoso. Atual ocupante do cargo, Rose de Freitas (PMDB-ES) já havia manifestado desejo de deixar a função. Com o rearranjo do tabuleiro, o Ministério do Planejamento seguiria, inicialmente, sob a batuta do economista Dyogo Oliveira.

Porta da esperança O Planalto sugere que o Itamaraty prorrogue por dois anos a isenção de visto para turistas dos Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão — que não oferecem risco migratório e têm padrão elevado de gastos em viagens ao Brasil.

Escolha de Sofia Essa foi uma das medidas discutidas em reunião nesta quarta (26). No encontro com os demais ministérios, o chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, pediu que todos definam seus projetos prioritários diante da forte restrição orçamentária.

3,2,1… valendo! A ordem é priorizar ações que geram emprego e que possam ser concluídas até dezembro de 2018 — último ano de Temer.

image1 (1)

Frozen No dia seguinte à aprovação do teto de gastos pela Câmara, parte dos apartamentos funcionais dos deputados amanheceu com os chuveiros frios. “Mal aprovamos a PEC e Temer já cortou nossa água quente”, brincou um congressista friorento.

Vai indo O centrão traçou seu roteiro na disputa pela presidência da Câmara: vai buscar PSDB e DEM e sugerir uma candidatura única.

Que eu não vou Se não der certo, poderá dizer que trabalhou pela unidade antes de apresentar seu candidato — e ainda colocará nos tucanos a culpa pelo racha.

Aperta o mute Além de um câncer na bexiga, José Carlos Bumlai, preso pela Lava Jato, tem tido picos de pressão. Ainda assim, mantém-se firme no propósito de não fazer delação, dizem amigos.

Plantão Preocupado com o aumento dos casos de sífilis, o governo reformará a legislação que regula o preço máximo de medicamentos para estimular a produção de penicilina no país, como defendem as farmacêuticas.

Terapia intensiva O Planalto elabora uma medida provisória para permitir que o preço máximo de um remédio possa ser alterado quando houver risco de desabastecimento. A medida também dará prioridade na Anvisa aos pedidos de registros de medicamentos concorrentes.

Via rápida Estuda-se não fazer consulta pública para definir critérios do reajuste de modo a acelerar a produção emergencial de penicilina.

Política externa Segundo o governo, Michel Temer acionou Aécio Neves para tentar apaziguar os ânimos entre Renan Calheiros e Alexandre de Moraes (Justiça). A dupla deve se encontrar em breve para discutir a relação.

Lenha na fogueira Um dos principais articuladores da filiação de Moraes ao PSDB, o presidente do partido em São Paulo, Pedro Tobias, publicou no site da sigla texto em que defende o ministro e ataca Renan Calheiros.

Xiii Tobias diz que Moraes “é um homem com história honrada”, “ao contrário do senador, cujas denúncias não param de aparecer”.

Tudo por você Considerada peça-chave para o fortalecimento do PRB no país, a campanha de Marcelo Crivella no Rio foi bancada quase que integralmente pelo fundo partidário — R$ 7,1 milhões.

Cobaia Trata-se de 20% do total que a sigla desembolsou na eleição inteira. “Como prefeito, Crivella mostrará o jeito PRB de administrar e provará que somos um partido que veio para ficar”, diz o ministro Marcos Pereira, presidente da legenda.


TIROTEIO

Além de ter de se responsabilizar por acervo e presentes que ganhou no Planalto, Lula também terá de levar um estádio para casa.

DE RUI FALCÃO, presidente nacional do PT, ironizando as notícias de que a Odebrecht teria dado o Itaquerão de presente ao ex-presidente Lula.


CONTRAPONTO

Se Oswaldo Cruz estivesse vivo…

Em visita recente a Pernambuco para acompanhar testes da vacina desenvolvida por São Paulo contra a dengue, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) aproveitou a agenda para se reunir com líderes políticos locais.

Em dado momento, foi abordado pelo ex-governador Joaquim Francisco, que resolveu relatar ao tucano um drama pessoal. Contou que, há 15 anos, foi ao casamento de uma de suas filhas acometido por uma dengue hemorrágica. De tão mal, precisou que uma ambulância o acompanhasse à igreja.

— Sobrevivi. Agora me sinto obrigado a votar em você para presidente por causa da vacina… — prometeu.