De olho no Planalto, aliados defendem que Alckmin assuma presidência do PSDB em 2017

Por Painel

 

Café com leite Tucanos e caciques de outras siglas passaram a defender que Geraldo Alckmin (SP) reivindique o direito de presidir o PSDB a partir do ano quem, quando o senador Aécio Neves (MG) conclui seu mandato à frente do partido. Os entusiastas da ideia afirmam que o mineiro não teria como negar apoio ao colega. Até agora, falava-se apenas em levar à direção um nome ligado ao paulista. Segundo relatos, o governador resiste à proposta. Argumenta que seria difícil conciliar as duas funções.

Voo solo Para alckmistas, o comando do PSDB ajudaria o tucano a ganhar protagonismo fora de SP, fortalecendo seu propósito de se tornar candidato à Presidência da República em 2018. Falta, porém, combinar com os russos.

Mais o que fazer A imperatriz Michiko não estará presente ao encontro do presidente Temer com o imperador Akihito, nesta quarta (19) — noite de terça no Brasil. Ela estará se preparando para seu aniversário: completa 82 anos no dia seguinte.

Etiqueta Sem a imperatriz, Marcela não poderá estar presente. Para líderes da comunidade brasileira no Japão, a mulher de Temer poderia aproveitar o espaço na agenda para apoiar reivindicações dos imigrantes — seguro-saúde e curso de japonês.
apode1710painell (1)
Iguarias Ministros vibraram com a prometida calmaria na viagem de Temer à Índia. Dizem que, na ida à China, o voo foi uma farofa só. O deputado Fábio Ramalho (PMDB-MG) levou para o avião presidencial um banquete com leitão à pururuca e goiabada cascão.

Íntimos Um procurador da Lava Jato repreende a PGR ter por ter excluído a PF das delações premiadas. “Isso é brigar com inimigo errado”, diz. A parceria entre PF e Ministério Público em Curitiba é parte do sucesso da operação.

Embolou A semana começa com barreiras à votação de recursos extras para o Fies e o Enem: a proximidade do segundo turno, a ausência de Temer no Planalto e a possibilidade de que o projeto da repatriação entre na pauta.

Boca na botija Das cerca de 80 pessoas que trabalharam na campanha de Marta Suplicy (PMDB) à Prefeitura de SP, ao menos 22 são filiadas ao PSDB. Há tucanos históricos, que estão no partido desde 1989, e novatos, que ingressaram em 2015.

Pagando bem… De acordo com a prestação de contas parcial da peemedebista ao TSE, os tucanos receberam da campanha valores entre R$ 1.500 e R$ 40 mil.

Turista acidental Os novos vereadores eleitos para a Câmara de São Paulo farão uma visita monitorada à Casa na quinta (20). Além de conhecerem seus futuros gabinetes, serão recebidos com um café da manhã pelo presidente Antonio Donato (PT).

Trabalhos abertos Embora só tomem posse de seus mandatos no ano que vem, os cinco novos vereadores eleitos do PSDB começam a participar desde já das reuniões da bancada tucana na Câmara paulistana. A primeira será nesta terça-feira (18).

Chapéu alheio Emissários do governo federal sinalizaram ao prefeito eleito de São Paulo, João Doria, que podem liberar cerca de R$ 500 milhões para a cidade.

Melhor que nada Os recursos seriam para as áreas de mobilidade e de saneamento — o dinheiro não poderia, portanto, ser diretamente usado para bancar o congelamento da tarifa de ônibus, promessa feita pelo tucano.

RSVP Doria fará jantar no Terraço Itália, dia 24, para os 25 vereadores eleitos pelos partidos que estiveram em sua coligação na disputa pela Prefeitura de São Paulo. No convite, ele indica o traje esporte aos convidados.

O meu lugar O PPS já deu recados a interlocutores de Doria sobre as secretarias que cobiça na futura gestão: Esportes e Cultura.


TIROTEIO

Toda vez que Temer fala de economia, o ministro Henrique Meirelles treme. É como macaco em loja de louça, quebra tudo.

DO DEPUTADO SILVIO COSTA (PT do B-PE), após Temer prever mudança na PEC do teto em quatro anos quando a medida do governo tem vigência de 20 anos.


CONTRAPONTO

Turma do fundão

Nas votações que invadem a madrugada na Câmara, um grupo de deputados acostumou-se a fazer contagem regressiva quando a fala do colega que está na tribuna vai chegando ao fim para abafar a voz alheia.
Na sessão da PEC do teto de gastos, já na terça (11), Chico Alencar (PSOL-RJ) antecipou-se à gritaria:

— O Dia da Criança é amanhã. Deixemos para elas suas reinações. Esse coro não combina com marmanjos.

Por um tempo funcionou. Mas, passada meia hora, voltou. Glauber Braga (PSOL-RJ) desabafou:

— Não sei se a solução é evitar sessões exaustivas como essa ou redigir um manual de boas maneiras!