Líder comunitário de Paraisópolis rebate Bia Doria e diz que favela não é Etiópia

Por Painel

Depois de a futura primeira-dama de São Paulo, Bia Doria, afirmar à Folha que “Paraisópolis é a Etiópia”, o líder comunitário da favela da zona sul, Gilson Rodrigues, disse ao Painel esperar que a mulher do prefeito eleito, João Doria, vá a Paraisópolis.

E ironiza: “Espero que ela venha conhecer essa Etiópia paulistana, de ondem saem as babás, as domésticas, os motoristas e toda a mão de obra que educa os filhos da elite da nossa cidade”.

Presidente da União dos Moradores de Paraisópolis, Rodrigues desafiou Bia a se tornar “madrinha da comunidade” para que ela possa ver como os projetos sociais da região “alfabetizam e dão formação profissional a toda essa mão de obra que vai servir à elite”.

Leia mais notas aqui.