Tom duro da resposta de deputados à nota da PGR sobre teto de gastos indica novos atritos

Por Painel

Vai ter volta A Câmara vai demorar a digerir a nota do Ministério Público contra a PEC do teto de gastos. Líderes dizem que expressões como “egoísta”, “corporativista” ou “privilégios” foram incluídas como recados na resposta dada à Procuradoria.

Com está fica O Planalto sustenta que só a nota técnica contra a PEC não muda sua estratégia no Congresso. Mas, se a PGR apresentar uma ação ao STF, o governo pode não ter alternativa a não ser reduzir a vigência do teto, como sugerem os procuradores.

Nem vem Um ministro do STF, no entanto, aposta que a corte não respaldará a tese de que o texto é inconstitucional.

Força máxima Pelo menos dois ministros retomam os mandatos de deputado nesta segunda (10) para votar a favor da PEC: Bruno Araújo (Cidades) e Fernando Bezerra Filho (Minas e Energia).

Tudo ou nada “É vida ou morte. Ou é o começo do ajuste ou o atalho para o abismo”, diz Marcus Pestana (PSDB-MG) sobre a necessidade de o governo aprovar a PEC.

Leia mais notas aqui.