Exigidas por lei para completar chapa, candidaturas de mulheres têm indicativo maior de inatividade

Por Painel

De fachada A porcentagem de mulheres candidatas que ainda não declararam movimentação financeira na campanha a menos de uma semana do primeiro turno é quase 20% maior que a de candidatos homens. A Justiça Eleitoral exige que as coligações para vereador apresentem ao menos 30% de postulantes de um dos gêneros. A ausência de arrecadação e de despesas, segundo o Ministério Público, é um dos indícios de que essas candidaturas possam existir apenas para cumprir a cota.

Última que morre A três dias da eleição e com Fernando Haddad tecnicamente empatado com Marta Suplicy (PMDB) em terceiro lugar em São Paulo, o PT investe na militância para tentar reconquistar o eleitorado dos extremos da cidade.

S.O.S. Nesta quinta (29), o presidente da sigla, Paulo Fiorilo, fará uma convocação pública aos apoiadores. “Não podemos vacilar”, afirma.

Attachment-1 (2)

Olha a fila O giro do ministro Alexandre de Moraes (Justiça) pelo interior de São Paulo no fim de semana — que teve o aval de Geraldo Alckmin — irritou tucanos paulistas que estão de olho na sucessão do governador.

Em coro Identificados com a queda de Dilma Rousseff, os deputados Paulinho da Força, Rogério Rosso e Jovair Arantes têm feito campanha para aliados, mesmo fora de seus Estados. Acabam reconhecidos nas ruas pelo impeachment da petista.

A moda pegou Depois do assassinato em Goiás e de um homem sacar uma arma em um comício em Mato Grosso do Sul, um candidato em Presidente Prudente, interior de São Paulo, registrou boletim de ocorrência por ameaça.

Vias de fato José Lemes Soares (PRB) mostrou na TV um vídeo gravado pelo celular em que um homem promete matá-lo. Ele diz que a pessoa é aliada do atual prefeito, Milton Carlos de Mello.

Outro lado A prefeitura nega ligação com as ameaças e diz que se trata de tentativa de criar um “fato político”.

Essa aí passou O Planalto considera que os governadores perderam um “cavalo selado” ao deixar passar a proposta que limita os gastos da União sem incluir os Estados. Alguns deles esboçaram uma movimentação, mas a ideia ainda não avançou.

Ajuda a te ajudar Além do controle das contas estaduais, a interação interessava ao Planalto para que ele tivesse os governadores ao seu lado durante a negociação com as bancadas estaduais.

Tamo junto O ministro Geddel Vieira Lima (Governo) foi aconselhado a telefonar pessoalmente aos presidentes de centrais sindicais para chamá-los à reunião de terça-feira com Michel Temer, em que o grupo vai afinar o texto da reforma da Previdência.

Esqueceram de mim Os dirigentes vêm se queixando de que, até agora, não puderam opinar sobre o projeto.

Pires na mão Representantes de universidades privadas bateram à porta do Planalto com receio de que não seja aprovado o crédito extra para o Fies e o Enem. Sem isso, dizem, não renovarão dois milhões de contratos.

Prazo curto Ainda não há sessão do Congresso convocada para a semana que vem, quando o governo prometeu votar o aporte de recursos.

Em conjunto Começa no governo um movimento para priorizar a aprovação da nova Lei de Licenciamento Ambiental, discutida por Casa Civil e Meio Ambiente. Sem ela, investidores podem ficar reticentes em participar dos leilões das concessões.

Replay A Câmara faz, no dia 10, sessão com integrantes da Justiça Eleitoral e ex-ministros do TSE para tratar da criminalização do caixa dois. No último dia 19 tentou-se aprovar o texto na surdina, com anistia a delitos pretéritos de alvos da Lava Jato.


TIROTEIO

Com esse tipo de ideia maluca, não adianta nem sentar para conversar. O que foi dito não é razoável, não nem merece resposta.

DO DEPUTADO PAULINHO DA FORÇA (SD-SP), sobre proposta do governo de adotar um gatilho na Previdência para elevar a idade mínima da aposentadoria.


CONTRAPONTO

O peso do poder 

Reunidos na residência oficial da presidência da Câmara para um café da manhã convocado por Rodrigo Maia, os líderes das bancadas batiam papo na sala principal enquanto o anfitrião não aparecia.

No dia anterior, ele tinha avisado aos colegas que o encontro seria antecipado para as 8h30 — uma hora antes do previsto — para que um dos deputados pudesse pegar um voo de volta a seu Estado às 10h30.

Já perto das 9h, com a inquietação e a preocupação aumentando, o presidente da Câmara surgiu na sala:

— Me desculpem, perdi a hora! Estou com uma baita de uma insônia — anunciou, arrancando risos.