Núcleo duro do governo começa a defender que Temer jogue reforma ministerial para 2017

Por Painel

Deixa que eu deixo O núcleo duro do governo começa a defender que Michel Temer jogue a reforma ministerial para o início de 2017, entre janeiro e fevereiro. Inicialmente prevista para depois do impeachment, a troca na equipe, se empurrada para o ano que vem, evitaria baixas na base em meio à votação da PEC do teto de gastos. Também permitiria que o Planalto medisse a fidelidade dos aliados antes da reforma da Previdência e daria folga a Temer para montar um time que o acompanhe até 2018.

Congela! A experiência com Fábio Medina Osório, que saiu da AGU atirando, só reforça a tese de que se modifique o ministério depois — sorte de Ricardo Barros (Saúde), que ganhará mais tempo na pasta após contrariar o Planalto com falas polêmicas.

A serviço de quem Osório, por sinal, ganhou dos ex-colegas o apelido de “procurador-geral contra a União”, tantas foram as ações em desacordo com o governo.

Se você insiste Cansado de recuar por iniciativa própria na reforma da Previdência, o governo achou uma forma de recuar por demanda.

Rogai por nós Para voltar atrás sem dobrar o desgaste, o Planalto receberia de líderes partidários um pedido para só enviar o texto da reforma depois de ampla discussão com setores da sociedade — ou seja, após as eleições.

Você por aqui Temer e Lula devem se encontrar na segunda, na posse de Cármen Lúcia no STF. Palacianos chegaram a se preocupar com o climão, mas relaxaram diante da inevitabilidade do encontro caso o petista mantenha a disposição de ir.

Quero ser Michelle Marcela Temer não deve apenas acompanhar o marido na viagem para a Assembleia-geral da ONU. O governo prevê agendas próprias da primeira-dama em Nova York. Os compromissos serão ligados ao desenvolvimento infantil.

Levy, é você? O mercado financeiro começa a se queixar de Henrique Meirelles. Acham que o ministro da Fazenda deveria se impor mais sobre a área política do governo para bancar o ajuste fiscal.

Deus e o Diabo “Eis o perigo de ser ministro e candidato”, alfineta o presidente de um banco, sobre o rumor de que Meirelles pode disputar a Presidência e, com isso, relaxar nas medidas econômicas.

Acabou Acostumados a inflar o Orçamento, congressistas estão se descabelando. Terão apenas R$ 1 bilhão de folga. Acima da cifra, a União superaria o teto de gastos.

Que abundância Deputados e senadores terão R$ 14 bilhões em emendas individuais e de bancada que são obrigatórias. As emendas são o principal mecanismo do Legislativo para influenciar o Orçamento da União.

Meu eu particular Dilma Rousseff não fez festinha de despedida para os funcionários do Palácio da Alvorada. Foi fiel ao estilo durão.

Desprendida O seu jeito de dar adeus foi organizando um bazar para os auxiliares da residência oficial. Doou alguns pertences que não levaria para Porto Alegre. Entre os regalos, um casaco da seleção brasileira de futebol escrito “Dilma”, tamanho PP.

Socorro Executivos contratados pela Odebrecht para tirá-la do rolo da Lava Jato dizem que o acordo de confidencialidade exigido pelo grupo é de dar medo. “É draconiano”, define um deles.

Nem aí A maior parte dos paulistanos tem ignorado a propaganda eleitoral. Segundo pesquisa Datafolha, 57% dizem não ter assistido a qualquer um dos programas.

Gostei Entre os que acompanharam a programação, Marta Suplicy foi a mais vista (24%). Já Fernando Haddad, que tem o segundo maior tempo de TV, foi visto por 18%. Celso Russomanno (PRB) foi apontado como o de melhor desempenho até aqui.


TIROTEIO

Como entender um partido em que a bancada vota fechada a favor da emenda na Câmara e agora vai até o STF para tentar derrubá-la?

DE BRUNO COVAS (PSDB-SP),  autor da emenda, questionada pelo Solidariedade, proibindo que parentes de políticos entrem na lei de repatriação.


CONTRAPONTO

Tá pancada

Durante o primeiro debate entre os candidatos a prefeito de São Paulo, na Band, Marta Suplicy (PMDB) fez uma fala considerada confusa por aliados e rivais. Disse, primeiro, que o “pancadão” — festa frequentada por jovens — virou ponto de tráfico e local onde as meninas ficam grávidas. Depois, afirmou que a espiritualidade “resgata o drogado”.
Ao final do bloco, o presidente do PT, Rui Falcão, ex-secretário municipal de Marta, espantou-se com o discurso da ex-aliada.
— Pancadão engravida? Daqui a pouco ela vai defender a cura gay… — ironizou o petista.