Preocupado, Planalto incorpora discurso de não minimizar manifestações contra Temer

Por Painel

Bandeira branca Preocupado com a possibilidade de consolidação dos protestos contra Michel Temer, o Planalto adotou como norma incorporar o discurso de não mais minimizar as manifestações. O tom é o de que tamanho não é documento. “Independentemente da dimensão, temos de respeitar e avaliar”, afirma Eliseu Padilha (Casa Civil) . Para o ministro, a partir de agora, a administração tem de distinguir a luta política das reivindicações e começar a enfrentar as pautas e não as manifestações.

Nós contra eles O Planalto não quer repetir o próprio erro de ter ironizado o público dos protestos iniciais. Há ainda a lembrança da gestão Dilma Rousseff, que, diante das manifestações de março de 2015, apostou na divisão.

Tudo e todos O diagnóstico agora é uníssono entre generais do Planalto: a comunicação geral do governo está ruim e deve mudar. Um ministro execrou o “fora, ladrão”, slogan criado pelo marketing de apoio a Temer. “Isso não é coisa do governo”, disse.

‌Muito ajuda O ministro Ronaldo Nogueira (Trabalho) não recebeu só um pedido para que esclarecesse a declaração sobre o aumento da jornada diária de trabalho. Tomou foi um “pito” do presidente — algo raro tratando-se de Michel Temer.

apode1009painell

Quem não atrapalha O Planalto já se sente desgastado demais lutando em duas frentes: a reforma da Previdência e a PEC do teto de gastos. Na avaliação interna, não havia necessidade de antecipar esse tema impopular.

Segue o jogo Padilha reunirá os ministros do Trabalho e da Indústria, Marcos Pereira, para tratar do assunto.

Esqueceu de mim Sem o ministério prometido e escanteado no debate sobre as reformas da Previdência e trabalhista, Paulinho da Força (SD-SP) pediu conversa com Temer. O presidente prometeu recebê-lo na terça (13).

Olha o troco O deputado nem disfarça o “recado”. Diz que, assim, Temer sofrerá com falta de “governabilidade”.

Leia mais notas aqui.