Ministros do TSE dizem que Dilma só saberá se poderá disputar eleição caso registre candidatura

Por Painel

Esperem sentados O mistério sobre se Dilma poderá ou não disputar uma eleição só será desvendado caso ela decida registrar candidatura, dizem ministros do TSE. Somente neste cenário a corte irá analisar o caso.

Unidos pela dúvida O caso é semelhante ao de Temer: condenado por ter feito doação eleitoral acima do teto, ele só saberá se pode concorrer quando decidir fazê-lo.

Na gaveta Geraldo Alckmin sancionou há dois anos lei que proíbe o uso de máscaras em manifestações, mas o texto não foi regulamentado. O deputado estadual Campos Machado (PTB) enviou ofício ao tucano cobrando-o.

Vai ter debate Há duas semanas, o STF entendeu que deve julgar se a medida fere a constituição. Os ministros analisam a proibição de uso de máscaras feita no Rio, mas foi estabelecida repercussão geral — a decisão valerá para todo o país.

Haja padrinho Dados da Associação Nacional dos Procuradores Municipais indicam que 65,5% das cidades brasileiras não contam com procurador municipal efetivado por meio de concurso.

Coisa à beça A pesquisa indica que, hoje, mais da metade dos procuradores estão nos cargos por indicação. Segundo a entidade, o estudo foi feito por amostragem e há margem de erro de 5%.

Que impeachment? Entre às 18h de 29 de agosto, dia em que Dilma depôs no Senado, e às 18h do dia seguinte, o nome de William Bonner foi duas vezes mais buscado no Google do que o da petista — ele e Fátima Bernardes haviam anunciado separação.

Ela disse o quê? Dentre as consultas mais comuns sobre a ex-presidente, estava “Dilma 30%”, referência à fala da petista aos congressistas sobre o pré-sal.


TIROTEIO

Quem chegou à Presidência da República com zero voto só pode mesmo ter desprezo total pela matemática.

DE RAIMUNDO BONFIM, da Central de Movimentos Populares, sobre Michel Temer dizer que são “40, 50, 100 pessoas” que protestam contra seu governo.


CONTRAPONTO

Registro histórico

Para preparar o discurso que faria na sessão do impeachment, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), um dos mais ferrenhos defensores de Dilma Rousseff na Casa, decidiu beber em fonte histórica. Resgatou a carta escrita por Getúlio Vargas antes do ex-presidente dar um tiro em seu próprio peito no Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, então sede do governo federal.
Após a leitura, exclamou:
— Mas essa carta é do cacete!
Ao seu lado, o embaixador Samuel Pinheiro Guimarães logo respondeu:
— Por isso ele teve de se suicidar…

Leia mais notas aqui.