Dilma recebe convites para estudar fora, mas indica que, por ora, prefere ficar no Brasil

Por Painel

Diga a eles que fico Dilma Rousseff recebeu convites de duas instituições para estudar fora — uma dos Estados Unidos e outra da França. A presidente afastada tem dito a auxiliares, contudo, que prefere permanecer no Brasil, ao menos por ora. A avaliação de sua equipe é que a petista deve continuar percorrendo o país e fazendo a sua defesa, mesmo depois do esperado impeachment. Aliados apostam que, se ela tiver de ir para o exterior, é mais fácil que isso ocorra somente no ano que vem.

Vou na frente Se o impeachment passar, Dilma deve demorar uns dias para embarcar de vez a Porto Alegre. Seus assessores ficarão mais tempo no Alvorada providenciando a mudança. Sua assessoria diz que ela terá 30 dias para desocupar a residência.

Para relaxar No domingo à noite, depois de horas burilando seu discurso, Dilma recebeu o ex-presidente Lula, ex-ministros e assessores para descontrair. Até bebericou uma taça de vinho.

Ela merece Chico Buarque fez algo raro para conseguir acompanhar o depoimento de Dilma: dispensou o futebol das segundas-feiras, ao qual só costumar faltar quando está no exterior.

Estamos juntas A presidente da Federação Nacional das Trabalhadoras Domésticas, Creuza Maria Oliveira, integrou a comitiva de Dilma no Senado.

Leia mais notas aqui.