Paulo Skaf depõe ao Ministério Público de SP sobre suposta irregularidade no uso de verba da Fiesp

Por Painel

Explique-se Paulo Skaf, presidente da Fiesp, prestou depoimento ao Ministério Público de SP nesta terça-feira (23). Foi chamado por denúncia anônima de suposta irregularidade no uso dos recursos da federação e de entidades como Sesi e Senai.

Vai saber A decisão do STF de permitir siglas nanicas nos debates surpreendeu campanhas. Aliados de Marta Suplicy (PMDB) dizem que Luiza Erundina (PSOL) pode favorecer Fernando Haddad (PT). Já para auxiliares do PT, a deputada é “imprevisível”.

tucaninhos

Aprendiz de tucano Enquanto João Doria se empenha para mostrar raízes tucanas, Bruno Covas, vice em sua chapa, tem comprovante em mãos. O deputado, neto de Mario Covas, guarda carteira do “Clube dos Tucaninhos”, feita quando era criança.

Por escrito Em carta aos candidatos a prefeito de SP, o Grupo Interinstitucional sobre Educação Infantil — formado por Ministério Público, Defensoria Pública, ONGs e advogados — cobrou planos específicos para o setor. A avaliação é que as propostas ainda são superficiais.

Vale nada A Seguradora Líder diz que não tenta impedir o envio de documentos do TCU à CPI do DPVAT, mas deseja que a corte deixe claro o “caráter preliminar e precário” dos atuais relatórios.

Partilha O PSDB de Minas sugeriu Augusto Guerra, professor da UFMG, para uma diretoria da Anvisa. O deputado tucano Marcus Pestana diz que a indicação cumpre a nova lei de nomeações.


TIROTEIO

A crise chegou a tal ponto que não dá mais para fechar os olhos. Não dá mais para não fazer a reforma política.

DO PRESIDENTE DA CÂMARA, RODRIGO MAIA (DEM-RJ), defendendo a cláusula de barreira, o fim de coligações proporcionais e a lista fechada de candidatos.


CONTRAPONTO

Faltou semancol

Na sessão de quarta-feira (24), José Medeiros (PSD-MT) ganhara o direito de falar por dez minutos na tribuna do Senado. O congressista criticava a presidente afastada, Dilma Rousseff, quando foi interrompido por Fátima Bezerra (PT-RN), que pediu para fazer uma intervenção.
A petista, no entanto, não parou mais de falar. Seu comentário se prolongou tanto que já gastava quase todo o tempo do colega.
Contrariado, Medeiros apelou para a ironia na esperança de recuperar a palavra:
— Vossa Excelência me concede um aparte no meu discurso? — disse ele à senadora.