Ministério Público impugna 15 dos 22 candidatos a prefeito ou vice de SP

Por Paulo Gama

O Ministério Público Eleitoral em São Paulo impugnou a candidatura de 15 dos 22 postulantes a prefeito ou vice na capital. Entre eles estão os dois líderes da campanha, Celso Russomanno (PRB) e Marta Suplicy (PMDB). Ambos deixaram de apresentar documentos necessários e terão sete dias para entregar as certidões.

Segundo o próprio Ministério Público, não deve haver complicações maiores se os documentos forem apresentados.

Também deixaram de oferecer os documentos exigidos Gabriel Chalita (PDT), vice do petista Fernando Haddad, Bruno Covas (PSDB), que compõe a chapa do tucano João Doria, e Andrea Matarazzo (PSD), vice de Marta.

Luiza Erundina (PSOL) e Major Olimpio (SD) também não apresentaram toda a documentação exigida, segundo o Ministério Público.

A Promotoria contestou ainda 675 dos 1.269 pedidos de registro de candidatos a vereador — a maior parte por falta de certidões negativas de condenação. Segundo o Ministério Público, a Justiça Estadual não conseguiu emitir a tempo todos os documentos pedidos.

Relação dos documentos não apresentados, segundo o Ministério Público

Celso Russomanno – certidão da Justiça Estadual de primeiro grau (que envolva feitos criminais e de improbidade administrativa) e certidão da Câmara dos Deputados

Marta Suplicy – certidão de tribunais superiores, certidão da Justiça Federal de primeiro grau, certidões da Justiça Estadual de primeiro e segundo graus para fins eleitorais

Luiza Erundina – certidões de objeto e pé, certidão de tribunais superiores e certidão da Câmara dos Deputados

Major Olímpio – certidão de tribunais superiores e certidão da Câmara dos Deputados

Andrea Matarazzo – certidão de tribunais superiores

Gabriel Chalita – certidão da Justiça Estadual estadual de segundo grau, certidão de tribunais superiores e certidão de objeto e pé dos feitos apontados na certidão estadual de primeiro grau

Bruno Covas – certidão da Justiça Estadual de segundo grau e certidão do TSE