Ex-diretor da Petrobras, Jorge Zelada busca advogado para fazer delação premiada

Por Painel

Fim da fila Preso desde julho de 2015, Jorge Zelada, ex-diretor da Petrobras, decidiu fazer delação premiada.

Demorou para abalar O executivo procurou ao menos um escritório de advocacia em Curitiba nesta semana, mas foi recusado — como chegou tarde, fica mais difícil fechar um acordo agora.

Sentou na cabeceira O Planalto dará aval aos reajustes do funcionalismo, apesar de dizer o contrário, mas só depois do impeachment. O PSDB, que luta contra os aumentos, pagará sozinho a conta do desgaste.

E o salário, ó Defensor do ajuste fiscal, o tucano José Aníbal mostra dados contra o aumento dos defensores públicos federais. Diz o senador: em 1997, o salário inicial da carreira era de R$ 649,16.

Estouro Segundo projeto atual, receberiam mais de R$ 31 mil — quase 48 vezes o que ganhavam há 19 anos.

Leia mais notas aqui.