Com Dilma fora do Planalto, PT discute abreviar mandato de dirigentes para se renovar

Por Painel

Com que roupa? Acuado com sucessivas denúncias de corrupção e afastado do poder central depois de quase 14 anos, o PT discute abreviar o mandato da atual direção e antecipar as eleições internas para o início de 2017. As articulações devem ganhar corpo após as disputas municipais. Envolvem, inclusive, integrantes da CNB, maior corrente petista. A avaliação de quem defende a tese é que, com Dilma Rousseff fora do Planalto, o partido precisará se reinventar — o que exige um comando de cara nova.

Me ajuda Para evitar a ideia de golpe, a nova eleição só ocorreria com aval da direção atual. Nesta terça (23), a Executiva discute o adiamento para março de um encontro em que antecipação entrará em pauta.

Leia mais notas aqui.