Itaú proíbe executivos de fazer doações a candidatos nestas eleições

Por Painel

Espartanos A cúpula do Itaú tomou uma decisão: seus principais executivos — Roberto Setúbal inclusive — ficarão proibidos de fazer doações financeiras nestas eleições. A medida se estende também aos cônjuges.

Quadrado, não De um executivo de uma multinacional que está de olho nas novas concessões de Temer: “É melhor adiar o lançamento e arredondar a proposta do que lançar projetos com falhas”.

Esquenta Dilma Rousseff é esperada em ato contra o impeachment em São Paulo na próxima terça-feira (23).

Kind of busy Durante a Olimpíada — entre o fim de julho e o dia 15 de agosto — o Itamaraty atuou em 485 ocorrências criminais tendo estrangeiros como vítimas.

cachaca

Turma do funil A declaração do ministro do STF Gilmar Mendes de que a Lei da Ficha Limpa parece ter sido feita por “bêbados” pegou mal entre deputados. “Haja cachaça para embriagar 513 deputados e 81 senadores”, reclama um congressista.

De folga Vice de Marta Suplicy (PMDB) na disputa pela Prefeitura de SP, o vereador Andrea Matarazzo (PSD) fez questão de ir à Câmara Municipal para obstruir a votação do projeto que libera publicidade em bancas de jornal.

Todos dentro A TV Cultura irá sabatinar os onze candidatos à Prefeitura de SP. Nomes que não têm direito a presença nos debates, como Luiza Erundina (PSOL) e João Bico (PSDC), participarão. As sabatinas ocorrerão a partir do dia 12 de setembro.

Visitas à Folha Luis Stuhlberger, sócio-fundador da Verde Asset Management, visitou nesta quinta (18) a Folha, onde foi recebido em almoço. Estava acompanhado de Daniel Leichsenring, economista-chefe, Cleber Martins e Marilia Paiotti, da assessoria de comunicação Máquina Cohn & Wolfe.

Hüseyin Lazip Diriöz, embaixador da Turquia no Brasil, e Mehmet Özgün Arman, cônsul-geral em São Paulo, visitaram a Folha nesta quinta (18).


TIROTEIO

Enquanto Doria fala em extinguir a Secretaria da Pessoa com Deficiência, me aconselho com Mara Gabrilli para reforçá-la.

DE ANDREA MATARAZZO (PSD), candidato a vice-prefeito de SP na chapa de Marta Suplicy (PMDB), referindo-se à deputada do PSDB que é cadeirante.


CONTRAPONTO

A sessão do Senado que tentava quorum para votar a DRU teve de ser interrompida depois de um forte cheiro de queimado no plenário. Uma uma pane elétrica na máquina de votação da bancada de Roberto Requião (PMDB-PR) motivara a suspensão.
— É típico. Requião sempre dá curto-circuito com todo mundo aqui — brincou Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).
Um gaiato arriscou uma explicação:
— Com Michel Temer, ele está perdendo força em Itaipu… Deve ser por isso!
Eis a razão para a alfinetada: o irmão do senador teve cargo na hidrelétrica durante o governo Dilma.

Leia mais notas aqui.