Investigadores da Lava Jato não descartam delação de Emílio Odebrecht

Por Painel

Por ora Investigadores dizem que uma delação de Emílio Odebrecht, pai de Marcelo, não está descartada. E refutam a tese de advogados da empresa de que a colaboração será aceita. “Não é um fato consumado”, indica um procurador da força-tarefa.

Tudo em casa Envolvidos na colaboração da empreiteira dizem que o projeto de construção do submarino nuclear integrará a delação. Mas, ao contrário do que se esperava, não deve haver revelação de propina a chefes de Estado estrangeiros.

apode1508painell (1)

Memórias do cárcere O “japonês da federal”, Newton Ishii, recebeu um pedido de Marcelo Odebrecht. O executivo perguntou se ele poderia trabalhar de roupa preta e colete num dia de visita. Uma de suas filhas gostaria de tirar uma foto ao seu lado.

Já pra cá A ABDI, ligada ao Ministério da Indústria, convocou ao trabalho cinco funcionários de licença. A recordista, há seis anos sem aparecer, era Marcia Oleskovicz, mulher do prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT).

Até tu? Apesar de não receberem salário, impediam que a vaga fosse ocupada. Dois deles trabalhavam na Cemig com Mauro Borges, ex-presidente da própria ABDI.

Vintage Ao se inscrever na Justiça Eleitoral, candidatos a vereador deparam-se com uma exigência inusitada: informar um número de fax.

Jeitinho Pedro Markun, hacker que tentará uma vaga pela Rede, conseguiu uma forma de cumprir o rito sem comprar um aparelho: assinou um serviço de fax digital.


TIROTEIO

O placar no Senado mostra que a proposta de plebiscito de Dilma para antecipar a eleição não consegue trazer o voto dos indecisos.

DE RAIMUNDO BONFIM, coordenador da Central de Movimentos Populares, sobre Dilma ter se manifestado a favor de convocar novas eleições caso volte.


CONTRAPONTO

Se espirrar, saúde

Gladson Cameli, senador pelo PP do Acre, chamou atenção em reunião recente com o presidente interino, Michel Temer. O encontro foi convocado para que os congressistas debatessem a retomada de obras federais que estão paradas — uma das propostas do Planalto para estimular o crescimento da economia.
Em certo momento, o senador pediu a palavra e, para espanto de todos, ensaiou seu voto ao impeachment.

— Presidente Michel Temer, gostaria de lembrar que amanhã há votação do impeachment de Dilma. E deixar claro que meu voto, pelo país, é sim! — disse ao microfone.

O interino sorriu de canto.

Leia mais notas aqui.