Rodrigo Maia quer manter leitura de cassação de Eduardo Cunha para segunda-feira

Por Painel

Segue o jogo Rodrigo Maia (DEM-RJ) não quer esperar nem a manifestação da Câmara nem a decisão do STF para dar sequência ao pedido de cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A data prevista para a leitura em plenário continua sendo segunda (8).

É guerra A tropa de choque do ex-presidente da Câmara diz que, quando a cassação entrar na pauta, serão os deputados favoráveis à perda do mandato que defenderão o adiamento da votação, já que o quorum deve ser baixo no período eleitoral.

Cadê “fair play”? O centrão continua disposto a estimular as rusgas entre DEM e PSDB — iniciadas com a defesa de Maia à reeleição de Temer — para tentar travar a pauta Câmara e, de quebra, tentar adiar a votação sobre Cunha.

Sobrevivência A ideia de deputados do bloco é continuar marcando território para evitar que a base de Temer seja considerada como uma só.

Lado a lado Apontados como possíveis nomes para suceder Temer, José Serra (Itamaraty) e Henrique Meirelles (Fazenda) dividiram um voo da FAB na segunda-feira.

Leia mais notas aqui.