Odebrecht calcula que depoimentos de seus executivos terminem em 15 dias

Por Painel

Embalou Pelas contas da Odebrecht, a empresa passará à etapa de negociação dos benefício dos executivos que firmarem delação em 15 dias. A previsão é que, nesse período, cerca de 30 funcionários da empresa sejam ouvidos pelo Ministério Público.

Talking As conversas da empresa com o Departamento de Justiça americano para firmar um acordo continuam. Como tem atuação nos Estados Unidos, a Odebrecht também é investigada no país.

Vai ou racha O STF julga nesta semana o habeas corpus que pede a liberdade do ex-deputado André Vargas. Será a primeira vez que ele será analisado por todos os ministros da turma. Vargas está preso desde abril de 2015.

Dinheiro até tem Pesquisa do Ibope feita a pedido da CNI mostrou que 59% dos moradores das grandes cidades (mais de 500 mil habitantes) dizem acreditar que a baixa qualidade dos serviços públicos é consequência da má utilização do dinheiro e não da falta dele.

Cadê recurso? Nas cidades pequenas (menos de 50 mil habitantes) o percentual da população que credita a precariedade dos serviços à má utilização é de 44%. A pesquisa foi feita com 2.002 pessoas em 143 municípios.

‌Vai assim mesmo Um dirigente petista foi à cúpula nacional da sigla pedir dinheiro para campanhas municipais. Diante da recusa, questionou como faria para gravar os programas de TV. O cacique apenas sorriu e apontou para o telefone celular.


TIROTEIO

Como Lula se acha um semideus, estranhei que tenha procurado a ONU, e não recorrido ao Vaticano, para reclamar de Sergio Moro.

DO DEPUTADO EFRAIM FILHO (DEM-PB), sobre a denúncia que o ex-presidente apresentou às Nações Unidas contra o juiz, sob suspeita de abuso de poder.


CONTRAPONTO

Tensão pré-impeachment

Às vésperas da votação sobre a admissibilidade do impeachment de Dilma Rousseff, José Eduardo Cardozo, então advogado-geral da União, e Nelson Barbosa, então ministro da Fazenda, fizeram uma reunião com senadores para apresentar argumentos técnicos para sua defesa.
Ao final, Cardozo perguntou qual versão do material deveria deixar com os parlamentares: a completa ou uma reduzida. Lindbergh Farias (PT-RJ) se animou:
— A completa é melhor, claro!
Foi o suficiente para levar um pito de Humberto Costa:
— E vai gastar papel à toa? Quando é que você vai parar para ler mil páginas?

Leia mais notas aqui.